quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

SAI A LISTA DE AUXILIARES DE MARCONI PERILLO

O GOVERNADOR MARCONI PERILLO LIBEROU HOJE A LISTA DOS SEUS AUXILIARES EM PRIMEIRO E SEGUNDO ESCALÕES:


Secretaria de Agricultura: Antônio Flávio de Lima Fillho

Secretaria de Articulações Institucionais: Daniel Goulart

Casa Civil: Vilmar Rocha

Secretaria de Cidadania e Trabalho: Henrique Arantes

Secretaria de Cidades: Armando Vergílio

Secretaria de Ciência e Tecnologia: Mauro Fayad

Controladoria Geral: José Carlos Siqueira

Secretaria de Desenvolvimento da Região Metropolitana: Jânio Darrot Freire

Secretaria da Educação: Thiago Peixoto

Secretaria da Fazenda: Simão Cirineu Dias

Secretaria de Gestão e Planejamento: Giuseppe Vecci

Secretaria de Indústria e Comércio: Alexandre Baldy

Secretaria de Infraestrutura: Wilder Pedro Morais

Secretaria de Meio Ambiente: Leonardo Vilela

Secretaria da Mulher: Gláucia Maria Teodoro Reis

Secretaria de Saúde: Antonio Faleiros

Secretaria da Segurança Pública e Justiça: João Furtado de Mendonça Neto

Secretaria Extraordinária para Ações Estratégicas: Fernando Cunha

Secretaria Extraordinária de Articulação Política: Sérgio Cardoso

Secretaria Extraordinária para Entorno de Brasília: Gastão de Araújo Leite
Chefe de Gabinete da Governadoria: Eliane Gonçalves Pinheiro

Gabinete Particular da Governadoria: Glória Miranda Coelho

Gabinete de Gestão da Governadoria: Francisco Olveira

Gabinete de Gestão da Representação em Brasília: Luiz Alberto de Oliveira

Gabinete de Impresa: Isanulfo Cordeiro

Gabinete de Relação com Movimentos Sociais: Ivânia Alves Fernandes Pessoa

Diretoria Geral de Polícia Civil: Edemundo Dias Oliveira

Comando da Polícia Militar: Raimundo Nonato

Comando do Corpo Bombeiros: Carlos Helbigen Jr.

Gabinete Militar: Mauro Teixeira Cândido

Procuradoria Geral do Estado: Ronald Cristian Alves

Agência de Comunicação: José Luiz Bittencourt Filho

Agência de Cultura: Gilvane Felipe

Agência de Defesa Agropecuária: Antenor Nogueira

Agência de Habitação: Marcos Abrão Roriz Soares de Carvalho

Agência de Desenvolvimento Regional: Viter Campos Coelho

Agência de Esportes e Lazer: José Roberto de Athayde Filho

Agência Prisional: Edilson Divino de Brito

Agência de Transportes e Obras: Jayme Rincon

Fapeg: Eliana França
Celg: José Eliton Júnior

Ipasgo: José Taveira Rocha

Goiás Industrial: Ridoval Chiareloto

Detran: Edivaldo Cardoso

Goiás Parcerias: Evandro Arantes Habib

Goiás Turismo: Aparecido Sparapani

Iquego: Olier Alves

Metrobus: Carlos Maranhão

Saneago: Nilson de Souza Freire

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

COMPARE OS NÚMEROS DAS 3 ÚLTIMAS PESQUISAS EM GOIÁS

VEJA O COMPARATIVO ENTRE AS PESQUISAS IBOPE -SERPES - GRUPOM PARA O GOVERNO GOIÁS EM 2010.

                                                                www.jornalx.com.br  

VEJA O QUADRO COMPARATIVO ENTRE AS PESQUISAS IBOPE-SERPES-GRUPOM PARA O SENADO FEDERAL EM GOIÁS/ 2010

domingo, 23 de maio de 2010

RESULTADO VOX POPULI EM 10 ESTADOS

O Vox Populi divulgou entre a quinta-feira, 20, e a sexta, 21, mais três pesquisas estaduais: São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Entre a terça, 18, e a quarta, 19, já haviam sido divulgados os resultados de pesquisas realizadas em sete Estados.

São Paulo

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) lidera a pesquisa de intenção de votos por ampla margem. O tucano aparece com 51% contra 19% de Aloizio Mercadante (PT). Celso Russomano (PP) tem 12% das intenções de voto contra 2% de Paulo Skaf (PSB).
Rio de Janeiro

O governador Sérgio Cabral (PMDB) que irá disputar a reeleição, tem 41% das intenções de voto. Fernando Gabeira (PV), com 19%, e Anthony Garotinho (PR), com 18%, estão tecnicamente empatados em segundo.
Rio Grande do Sul

O ex-ministro da Justiça Tarso Genro (PT) lidera a pesquisa com 32% das intenções de voto, contra 27% de José Fogaça (PMDB). A governadora Yeda Crusius (PSDB), que deve tentar a reeleição, aparece com 10%. O ex-ministro dos Transportes Beto Albuquerque (PSB) tem 7% das intenções de voto.
Distrito Federal

Joaquim Roriz (PSC) lidera com 42% das intenções de voto. O petista Agnelo Queiroz aparece em segundo, com 32%. Veja o relatório completo. Na pesquisa anterior, divulgada em janeiro deste ano, em cenário apenas com os dois candidatos, Roriz aparecia com 49% e Queiroz com 22%.
Minas Gerais

Em Minas Gerais foram testados dois cenários. No primeiro, Hélio Costa, do PMDB, aparece com 45% dos votos contra 17% do tucano Antônio Anastasia. Em janeiro, Costa aparecia com 37% e Anastasia com 16%. No cenário com Fernando Pimentel (PT), o petista tem 35% (ante 34% em janeiro) e Anastasia registra 21% (ante 15% em janeiro).
Paraíba

O pré-candidato do PMDB, Zé Maranhão, lidera a pesquisa com 43% das intenções de voto. Ricardo Coutinho, do PSB, aparece em segundo, com 35%.
Paraná

Beto Richa (PSDB) aparece com 40% e Osmar Dias (PDT) com 33%.
Rio Grande do Norte

Rosalba Ciarline (DEM) lidera com 49% das intenções de voto. Carlos Eduardo Alves (PDT), com 16%, e Iberê Ferreira de Souza, com 15%, aparecem tecnicamente empatados em segundo.

Bahia

Candidato à reeleição, o governador Jaques Wagner (PT) lidera as intenção de voto no Estado, com 41% dos votos. Já o ex-governador Paulo Souto (DEM) aparece com 32%. Veja o relatório. Em janeiro, Wagner tinha 44% e Souto, 29%.
Pernambuco

O governador Eduardo Campos (PSB) lidera com 57% das intenções de voto. O senador Jarbas Vasconcelos aparece em segundo, com 28%.
 
FONTE: VOX POPULI

sábado, 22 de maio de 2010

Que meu orgulho esmeraldino nunca vá parar na valeta!

Que meu orgulho esmeraldino nunca vá parar na valeta!

Por Fernanda Santos*

Ultimamente estou até com dor de cabeça... Eita Goiás! Nos últimos meses, acompanho contrariada a situação calamitosa na qual se encontra o Goiás E.C, time do meu coração, acho que desde a barriga da minha mamãe. Paixão esta que aflorou ainda mais com a influência de meu pai Tamar, quando me levava na década de 80, para ver os jogos do time de várzea perto da minha casa, e me ensinou numa boa a ter esse amor tão grande pelo Verdão.

Esse ano, não vi e pelo jeito não vou ver até agora nada de aproveito, nesse time que se encontra aí formado, que o Grande Arquiteto do Universo, abençoe o técnico Emerson Leão, e nos permita não ver uma tragédia no fim do ano, e assim espero que meu aniversário e meu natal sejam felizes realmente. Como são durante todos os anos em que o ‘’maior time do Centro Oeste”, corresponde às minhas expectativas. E minha indignação é mais do que legitima, é um desabafo, e com toda razão de ser desse mundo, sem mentira nenhuma.

Já me acostumei desde 1983, ano de meu nascimento à pelo menos uma faixa de campeão goiano, e resultados expressivos seja na Copa do Brasil, ou no Campeonato Brasileiro (desde que não seja para fugir do rebaixamento), e esse ano não tive sequer uma faixa de campeão goiano, a participação no Copa do Brasil foi uma vergonha, e no Brasileirão tá quase me matando de raiva!

O torcedor esmeraldino assim como eu está cansado de ser feito de bobo, por conta de motivos alheios à nossa vontade, sua participação no Brasileirão se quiser muita coisa, é montar time pra fugir do rebaixamento, ou ficar entre os dez melhores, e ir para a Copa Sul Americana, e fazer uma participação que nem figurante de Bollywodd, se presta a fazer.

Eu ainda não vi uma oportunidade real, de elaboração de um plano de trabalho que tivesse por objetivo, garantir o titulo de Campeão Brasileiro, para alegrar essa torcida tão apaixonada e que merece tanto isso, tenho medo de que isso nunca se realize, pois vou ficar velha, gagá e seguir para o outro lado e vejo que nunca terei essa alegria, mas mesmo assim e com meus dentes caindo vou expor minha insatisfação sempre que se fizer necessário, e elogiar quando dá tudo certinho.

Mas por conta desses estragos, estou sendo forçada a aguentar as piadinhas de meus colegas “Vileiros” e “Atreticanos”, que fazem a festa com tal situação. Alegria dos meus colegas de Twitter: Otávio Forte e Luiz Gama, e meu amigo Leon Deniz. O sorriso dos caras fala por si só, e desde o início do ano já aguentei todas as piadinhas que meu coração esmeraldino poderia aguentar, talvez esse artigo tem mais é na verdade um caráter de protesto.

Eu, meus amigos Eni Aquino, Salimar Damaceno, Hugo Damaceno, Nadim Neme Neto e meu colega Tiago Baiocchi, estão na bronca com esse time e essa situação não pode continuar, e qualquer dia desses se acharmos o Dr. Sebastião Macalé, “nas pistas” quem sabe vamos sugerir pra ele já que hoje está cuidando da parte de futebol (contratação) diretamente, um plano emergencial de ação para amenizar esse regaço, e evitar vergonha maior.

Que todos aqueles que não tiverem compromisso com o clube, e com o torcedor que peçam pra sair, nós não merecemos tanto desrespeito, pois pelo jeito só estamos sendo lembrados e cobrados, quando o time está no fundo do poço, aí lembram de nossas presenças nos estádios, pois quando tudo está correndo bem, o torcedor é sumariamente ignorado, pois se quiser colaborar com seu time, tem que para ir ao estádio pagar uma fortuna para ver um bom jogo, o que no caso não está acontecendo há um bom tempo.

Aliás a torcida e a diretoria do Goiás nos últimos anos são na verdade duas coisas antagônicas, são como o sol e a lua, pois não dividem o mesmo céu, talvez seja por isso é que a torcida do Vila Nova, dá um banho na gente, pois a relação entre estes é tão intensa que remete aos romances de Eça de Queiroz, pra alegria do meu amigo Gama.

Para expressar tamanha insatisfação pego emprestada uma frase que vi na internet de um torcedor anônimo, para expressar a minha revolta, pois o mesmo devia estar com muita raiva, e não quis se identificar para não ser exposto aos mais ácidos comentários, mas vou colocar assim mesmo: “Família Pinheiro, cadê o dinheiro? Vocês tão investindo na Pinauto e deixando o Goiás de lado, se não dão conta pedem pra sair ou então administrem o Verdão bem né!”

Que jamais meu orgulho esmeraldino e minha paixão quase doentia, por conta do Goiás E.C, caiam na valeta por conta de episódios assim, que enfim o torcedor que tanto ama essa camisa verde esmeralda, seja respeitado à altura de sua paixão, e não passe mais por situações humilhantes, como num passado distante e neste momento, assim como Grêmio, Palmeiras, e Atlético Mineiro, quando rebaixados à segundona, e não permitam que novamente aconteçam cenas no Serra Dourada como as do Couto Pereira, estádio do Cortiba no Brasileirão do ano passado. "A selva é como ela é vaidosa e ambiciosa, irada e luxuriosa." Por um futuro mais ameno e vitorioso para o Goiás E.C, essa é a meta. Sem palavras.


Fernanda Santos* é bacharela em direito e parecerista em matéria cível de G. Bedran, e Tiago Baiocchi.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

A Liberdade de imprensa e informação estão enclausuradas num castelo triste...

Por Fernanda Santos




“2010, a imprensa esportiva que não deve jamais se submeter aos caprichos de seu ninguém fugindo de um castelo triste, está usando e abusando de “sua liberdade de expressão”, um dos poucos direitos que ainda restam nesse país, e você está entrando no mundo da informação, do autoconhecimento, denúncia e diversão, esse é o Brasil, seja bem vindo.”



O TWITTER, hoje se enquadra na categoria das afirmações acima, não bastando às declarações da “Tia Dilma” sobre a votação no STF sobre a revogação da Lei da Anistia que não convencem nem minha afilhada Gabrielly de 04 anos, fato que o STF com sabedoria administrou, e fez com que tal lei não se submetesse a caprichos de grupos que querem estrangular a CF/88, que na verdade querem é transformar nosso pais numa terra sem ordem, e muito menos progresso...



Queria convidar a Anistia Internacional, pra discutir sobre isso, mas se houver algum representante da Rede de Ações Urgentes da Anistia Internacional, nessas terras goianas, por favor que se prontifique a prestar atenção nas informações que vou repassar, e mobilizar esforços para evitar um total desastre, pois “Liberdade de Informação e Expressão” não servem somente para apelos políticos e de refugiados de guerra, e nem pra enfeitar qualquer legislação, tais liberdades devem promover cidadania, e nesse caso que será relatado diversão ao público, e vida digna a quem sobrevive para exercer estas liberdades.



O ex-presidente do STF Ministro Gilmar Mendes canta a pedra sem pestanejar: “Incluem – se na liberdade de expressão faculdades diversas, como a de comunicação de pensamentos, ideias, de informações e de expressões não verbais (comportamentais, musicais, por imagem etc.). O grau de proteção que cada uma dessas formas de se exprimir recebe costuma variar, mas de alguma forma, todas elas estão amparadas pela Lei Maior.” (MENDES, Ferreira. Gilmar. COELHO, Mártires, Inocêncio. BRANCO, Gonet, Gustavo, Paulo. Curso de direito constitucional, 4.ed. rev. atual. São Paulo- SP – Saraiva, 2009. p. 402-403.)



Para melhor compreensão transcrevo um trecho da CF/88 sobre o assunto, e depois vamos para os embates sobre o tema que infelizmente levou como nome o titulo acima... “Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: I - homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações, nos termos desta Constituição; II - ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei [...] IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato.”



A Câmara Federal nos últimos dias aprovou mudanças na Lei Pelé. As alterações são boas somente para os grandes clubes de futebol. Mas a maioria das mudanças só favorece na verdade é a Rede Globo de Televisão, e outros conglomerados jornalísticos que compram com exclusividade as transmissões do Campeonato Brasileiro, e manipulam da forma de transmissão com o que lhes achar conveniente.



Com isso haverá uma mordaça ou censura camuflada à outros veículos em transmissões esportivas, que não atenderem ao dito e proclamado “Padrão Globo de Qualidade”. O assunto agora vai para o Senado Federal, e de cara já ganhou a ojeriza do senador goiano pelo Democratas, Demóstenes Torres, que vai mover céu e terra evitando assim o enclausuramento da imprensa esportiva em todas as suas expressões.



Agora a Câmara dos Deputados em Brasília, mostrou que Pelé tem razão em dizer que o brasileiro não sabe votar. Foi aprovado pelos senhores deputados um projeto para alterar a Lei Pelé, que devia se ater somente às questões do futebol e atualizar o Estatuto do Torcedor, mas que pela decisão “iluminada” da nossa Câmara, confirma e legaliza uma verdadeira censura branca as demais empresas de comunicação do nosso país. Onde estão os moços dos Direitos Humanos e da Anistia Internacional, pra cobrar alguma posição nesse sentido?



No projeto citado, que ainda será examinado pelo Senado, os clubes poderão autorizar ou proibir a transmissão de um jogo de futebol, por determinada rádio ou rede de tevê, e autorizar ou não gravações de entrevistas com jogadores dos times nesses jogos. É a censura branca em todos os meios de comunicação do Brasil.



Os fotógrafos que trabalham para veículos impressos, por sua vez, poderão ser confinados em um setor do estádio, do qual estarão impedidos de sair. Destes recintos todos eles seriam tratados como animais na jaula, tratamento desumano que vai de frente as determinações da OIT – Organização Internacional do Trabalho.



As fotos só seriam permitidas a partir desse local. É um projeto de lei federal que visa censurar tudo no esporte, e pra ir para outros campos da imprensa será um pulo, e a coisa não vai parar por aí. Cenas para outros canais de televisão estariam restritas a “somente” 90 segundos apenas.



Você já imaginou o estrago? Isso significa que por exemplo os jogos com muitos gols, ou decisões por pênaltis só poderão ser exibidas exclusivamente por um canal em exclusividade, sem pedir consulta a população que é parte interessada, e expectadora fiel dos espetáculos esportivos.



Os jornais noticiosos de televisão estarão com a aprovação do projeto, também limitados aos 90 segundos. Nem no regime militar os veículos de comunicação sofreram tantas restrições, nunca se viu tanta bobagem, minha Nossa Senhora. E isso tudo elaborado e já aprovado na Câmara dos Deputados e com a maior facilidade desse mundo. O Senado da República, neste momento, está sendo convocado pela sociedade brasileira, para que esse verdadeiro absurdo aprovado na Câmara dos Deputados não se torne lei, e nem prejudique a população que quer liberdade de escolha, e nem prejudicar os profissionais do segmento que podem ser excluídos por conta dessa “gracinha”, que nada mais é do que uma brincadeira de péssimo gosto, nem Al Capone e Lampião fariam melhor.



Os segmentos de classe vem advertindo e se mobilizando para informar que a restrição imposta aos repórteres de campo, será apenas o inicio de um processo de censura ao trabalho dos profissionais da comunicação, com isso vai se acabar com o prazer de ouvir uma boa transmissão de jogo ou evento via rádio em tempo real.



E esse projeto, sendo aprovado na Câmara dos Deputados agora, é a confirmação de que se usa o argumento dos direitos adquiridos por um contrato para restringir, e censurar a informação e a prestação de serviços, tudo isso com plena anuência legal, a lei no Brasil em vez de resguardar direitos está é tirando direitos personalíssimos e intransferíveis, para satisfazer a fome dos grandes conglomerados de comunicação, que não podem ter sua paz molestada por opiniões que não lhe agradam e imagens divergentes.



A Câmara está sendo omissa, agindo contra os interesses da coletividade, pois, uma lei nesse diapasão deveria permitir que qualquer canal de televisão deste país possa transmitir os jogos e eventos esportivos com imparcialidade e independência, sem se submeter aos caprichos de quem quer que seja, porque a informação pertence ao povo e só a ele unicamente, e este deve usufruir desse direito da melhor maneira possível. E estando em vias de convocação para a Copa da África no próximo dia 11/05, reitero de que além do direito à informação e a liberdade de imprensa, a Seleção Brasileira de Futebol, é patrimônio do povo brasileiro, e que a vontade do torcedor seja enfim respeitada, e que os direitos conquistados na feitura da CF/88, in Assembleia Nacional Constituinte, não parem na vala comum, que em vez de beneficiar o povo se submetam e se tornem moeda de troca na mão de gente mal intencionada.



Fernanda Santos* é bacharela em direito e parecerista em matéria cível de G. Bedran, e Tiago Baiocchi.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

A ZOIÚDA QUER IMPOR CENSURA AO JORNALISMO ESPORTIVO BRASIL

Que a Rede globo de televisão é a grande cafetina da família brasileira, o país inteiro sabe. A globo com sua programação impregnada de novelas nada mais faz do que doutrinar as famílias do Brasil para um modelo de perdição, prostituição, desrespeito, traição e outros tantos valores que apenas contribuem para o fim daquilo que conhecemos como família ideal. Não bastasse esse comportamento repugnante, a emissora carioca depois de monopolizar as transmissões esportivas de jogos da seleção brasileira, do campeonato brasileiro e copa do Brasil, quer também patrocinar a censura aos demais veículos de comunicação do país que atuam em coberturas de eventos esportivos. 

A globo ajudou, pressionou e praticamente determinou a aprovação pela Câmara dos Deputados, de um projeto de lei  que altera a chamada Lei Pelé.   Foi aprovado pelos senhores deputados um projeto para alterar a lei Pelé, lei que devia se ater às questões do futebol, mas que pela decisão da nossa Câmara, confirma a verdadeira censura as empresas de comunicação do nosso país. No projeto, que ainda será examinado pelo Senado, os clubes poderão autorizar ou proibir a transmissão de um jogo de futebol, por determinada rádio, e autorizar, ou não, gravações de entrevistas com jogadores desses jogos. É a censura em todos os meios de comunicação do Brasil. Os fotógrafos que trabalham para veículos impressos, por sua vez, poderão ser confinados em um setor do estádio, do qual estarão impedidos de sair. As fotos só serão permitidas a partir desse local. É uma lei federal que censura tudo no esporte, e não para por aí. Cenas para outros canais de televisão estarão restritas a 90 segundos apenas. Isso significa que jogos com muitos gols ou decisões por pênaltis só poderão ser exibidas exclusivamente por um canal. Os jornais noticiosos de televisão estarão, também, limitados aos 90 segundos. E isso tudo elaborado e já aprovado na Câmara dos Deputados.

Com a palavra o Senado Federal. Como é que pode um absurdo desses? O futebol brasileiro é o que é em função do rádio esportivo que fazemos por aqui há mais de um século. A crônica esportiva brasileira é responsável pela riqueza do futebol brasileiro. Não pode se jogar tudo isso no lixo simplesmente por capricho de uma emissora de TV que tem como principal objetivo o dinheiro, o poder, e o empobrecimento da concorrência. A Lei Pelé tocando no assunto comunicação é inconstitucional. Uma lei menor não pode suplantar a lei máxima. O direito da imprensa esportiva tem que ser respeitado. Não aceitamos essa censura que a Globo está impondo ao Congresso Nacional. Senadores do Brasil! Tenham o bom senso de não permitir essa violência contra a democracia.   

sábado, 17 de abril de 2010

SERRA SERÁ PRESIDENTE DE VERDADE E NÃO DILMENTIRA

DATAFOLHA: SERRA COLOCA 10 PONTOS DE FRENTE EM DILMA ROUSSEFF

A pesquisa de intenção de votos para presidência da república do instituto DATAFOLHA deste sábado 17 de abril de 2010 mostra uma realidade que acaba com o sono do PT. O PSDB fará o próximo presidente da república. José Serra se mostrou de leve com o lançamento de sua pré-candidatura e já conseguiu crescer exatamente o dobro da pré-candidata do PT dilma Rousseff. Serra tem agora 38% das intenções de voto do povo brasileiro. Dilma tem 28% . Em relação a última pesquisa DATAFOLHA Serra subiu 2 pontos percentuais e Dilma subiu 1 ponto. Serra cresceu o dobro de lá pra cá. Duas leituras: Sem Lula no seu cangote a ministra do terror empacou de vez, e quando Serra se mostra ao Brasil, o Brasil se mostra ao lado de Serra. O Brasil quer Serra, um presidente de verdade, e não quer uma presidente Dilmentira.

BATER EM MARCONI PERILLO NÃO É UMA BOA PARA ADVERSÁRIOS

Os adversários do Senador Marconi Perillo/PSDB em Goiás já devem ter aprendido a lição que não podem bater no pré-candidato do PSDB ao governo de Goiás. Quanto mais aumentam o tom da campanha para destruir a imagem política e pessoal de Marconi, mais o jogam para os braços do povo goiano. Marconi lidera em todas as pesquisas de intenção de voto a corrida ao palácio das esmeraldas. Os números do Serpes esta semana demonstram que Marconi pode sim ganhar a eleição no primeiro turno. A apresentação de propostas pode desequilibrar o jogo em favor de Marconi. O senador é dos políticos goianos o mais confiável em termos de promessas de campanha. O eleitor sabe que Marconi cumpre seus compromissos de campanha. O Renda cidadã, Bolsa Universitária, Vapt Vupt, Cheque Moradia, etc... são as provas de que compromissos de Marconi viram realidade. Quando Marconi apresentar pra valer o seu pacote de propostas ao povo goiano é certo que crescerá ainda mais as suas intenções de voto.

FABIO SOUSA DÁ SHOW NA CPI DA PEDOFILIA EM GOIÁS

O jovem deputado Fábio Sousa/ PSDB de Goiás está dando um verdadeiro show de capacidade na CPI da pedofilia na Assembléia Legislativa. O objetivo da CPI é travar uma grande guerra contra a pedofilia em Goiás que amarga o título de estado campeão em casos de pedofilia pela internet. E uma grande conquista já acertada. O Tribunal de Justiça de Goiás se comprometeu a enviar para a AL um projeto de lei criando uma vara exclusiva para julgar casos de pedofilia e abusos contra jovens em Goiás. Só por isso é correto afirmar que essa CPI da pedofilia presidida por Fábio Sousa já deu resultados positivos ao povo goiano.

IRIS E VANDERLAN FORAM ENGANADOS P/ DOSSIÊ FALSO CONTRA MARCONI

Tenho informações precisas que os pré-candidatos Iris Rezende/PMDB e Vanderlan Vieira/PR foram enganados pela armação do falso dossiê contra o pré-candidato Marconi Perillo/PSDB. Iris e Vanderlan só teriam aceitado renunciar de seus cargos depois de saberem da existência do dossiê que em tese destruiria a candidadura de Marconi. Principalmente porque o falso dossiê só seria divulgado no mês de setembro quando não daria mais tempo para Marconi desfazer a armação fantasiosa. Se o dossiê e suas falsificações grotescas fossem verdadeiras até poderia ser que Marconi fosse destruído. Mas como trata-se de um trabalho bandido, criminoso, canalha e de falsificações de 5ª categoria, claro está que o sonho de retirar Marconi do páreo virou pesadelo para muita gente. Agora que está sendo provado que o dossiê falso contra Marconi não passa de uma sujeira dos canalhas do submundo, Será que Iris e Vanderlan não respiram um ar de arrependimento?

quinta-feira, 8 de abril de 2010

O VOTO DO CRISTÃO NO CONTEXTO IDEOLÓGICO DAS ELEIÇÕES DE 2010

Texto do Dr. Uziel Santana retirado do site http://www.mídiasemmascara.org/

"Nunca na história deste país" - parafraseando o Presidente - os cristãos e suas igrejas foram tão atacados em seus valores e dignidade. "Nunca na história deste país", os valores cristãos foram tão depreciados, estigmatizados e estereotipados.


Que tipo de eleição se avizinha agora para nós? O que podemos esperar dos candidatos e partidos envolvidos neste novo processo eleitoral e seus respectivos programas e plataformas de governo? Enfim, o que estará, definitivamente, em jogo nas Eleições de 2010? É sob o fulcro deste conjunto de questões reflexivas que iremos analisar, neste ensaio, alguns aspectos que estão envolvidos no próximo pleito e que têm sérias implicações e repercussões para o exercício público e livre da fé cristã. E é exatamente por esta razão que este Dictamen reflexivo se dirige, mormente, aos cristãos e sua liderança. Muito embora, pelo conteúdo aqui expressado, o que está em jogo, no contexto ideológico das Eleições de 2010, mais do que a liberdade religiosa, é o conjunto das liberdades civis fundamentais do ser humano e da sociedade. Avizinha-se uma Eleição, ideologicamente, bem definida, onde os atores políticos e seus partidos têm deixado, mais do que nunca, às claras, os ideais morais, religiosos, culturais e político-sociais que cultivam, defendem e promovem. Por assim ser, inelutavelmente, a situação conjuntural atual exige de nós, cristãos, uma tomada firme de posição quanto ao que está (será) (im)posto. Usando uma figura de linguagem: entre os cristãos, o joio e o trigo comparecerão ao "Tribunal da Colheita" no escrutínio de outubro de 2010. E, assim, a questão que se apresenta para nós cristãos é: como deve ser o voto do cristão no contexto ideológico das eleições de 2010?

Ao analisarmos a historiografia dos processos eleitorais brasileiros após o Regime Militar (1964-1985) - dentro do atual contexto da chamada Nova República -, observamos que, estamos vivendo uma conjuntura política sui generis, quanto à determinação dos valores morais, culturais, religiosos e sociais a serem assumidos e promovidos pelo Estado brasileiro. Se no contexto das eleições de 1985, 1989, 1994, 1998 e 2002, os debates dos presidenciáveis - e, assim também o era, em nível estadual - se situaram em questões (macro e micro) econômicas (como foi o caso de FHC e Lula, em 1994 e 1998), em questiúnculas casuísticas sobre a vida dos adversários políticos (como foi o caso de Collor e Lula, em 1989) ou mesmo em promessas "palanqueiras" vazias, fruto da retórica retumbante dos "politiqueiros" brasileiros (como, entre tantos exemplos, foi o caso da promessa de "caça aos marajás" de Collor, em 1989), agora nas Eleições de 2010, com as temáticas e políticas públicas promovidas pela era Lula (2003-2010), com o lançamento das candidaturas de Dilma Rousseff (PT) e José Maria Eymael (PSDC) e, possivelmente, Marina da Silva (PV), José Serra (PSDB), Ciro Gomes (PSB), o que se mostra, sob uma perspectiva cristã, é um quadro eleitoral que, para nós, deve ser centrado em um debate, eminentemente, ideológico, mesmo que os discursos oficiais propostos sejam outros. Por quê? Porque, olhando para os referenciais teóricos e programáticos desses presidenciáveis, grande parte deles - como o foi o Governo Lula, in totum - adota uma ideologia programática, altamente anticristã, semelhantemente ao que ficou demonstrado no lançamento do Decreto nº 7.037 de 21 de dezembro de 2009 - o PNDH-3 (Programa Nacional de Direitos Humanos).

O Governo Lula, finalmente, no apagar das luzes do ano de 2009 (como é práxis neste governo) e da sua Era, mostrou, in claris, o que tentou fazer e promover, em termos morais, religiosos, culturais, sociais e políticos, no nosso país, nos últimos oito anos. Eis a sua "Revolução Iluminista": a formação de um Estado laico, anticristão, amoral, corrupto (onde os fins justificam os meios), adepto de uma democracia do tipo ditatorial-plebiscitária (nos moldes de Hugo Chávez da Venezuela), onde a "sociedade" é menos importante que o "movimento social" e a maioria é subjugada pelas pretensões políticas - sejam quais forem elas - da minoria.

Neste mesmo sentido, quando do lançamento da candidatura da presidenciável Dilma Rousseff, conforme ela mesmo assentiu em seu discurso inaugural, o fundamento das suas diretrizes programáticas é a constituição, a partir da sua eleição como presidenta, de um "Estado Forte", evidente que, nos mesmos termos da Era Lula, sendo que agora, não mais de uma forma gramsciana (que propunha uma revolução silenciosa em busca de tomar as estruturas do poder pela "pregação" latente de uma hegemonia cultural-moral), mas de uma forma stalinista (uma revolução ostensiva e cruel). Isso é, realmente, assustador.

"Nunca na história deste país" - parafraseando o Presidente - os cristãos e suas igrejas foram tão atacados em seus valores e dignidade. "Nunca na história deste país", os valores cristãos foram tão depreciados, estigmatizados e estereotipados. "Nunca na história deste país", a liberdade religiosa, de expressão e de culto estiveram tão ameaçadas, como foi no caso da tentativa de aprovação, "a toque de caixa e à força", do PL 122/2006 (o PL da ditadura gay) que ainda tramita no Senado Federal e que é amplamente apoiado pelo governo petista, através da Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República - Secretaria esta que produziu o absurdo jurídico-moral do PNDH-3 que, entre outros, prevê a promoção do aborto, do homossexualismo, das invasões do MST, do enfraquecimento do Judiciário, das inconstitucionais políticas de cotas, da profissionalização da prostituição e do adultério, da adoção de crianças por homossexuais, da retirada dos símbolos cristãos dos órgãos públicos, da censura prévia a imprensa, da desconstrução dos valores familiares e etc.

Definitivamente, a liderança cristã do Brasil precisa reagir. Porque, se em oito anos de governo petista tivemos isso, tivemo-lo por omissão - e muitas vezes por ação - da liderança cristã. Foi desse modo, inclusive, que Lula venceu, sobretudo, as eleições de 2006, com o amplo apoio de bispos, pastores, instituições como a CNBB (que, por certo, não representa a Igreja Católica brasileira como um todo) e várias denominações evangélicas. Os fatos que estamos a descrever aqui neste ensaio - e este é o meu Dictamen a vocês líderes cristãos - devem ser levados ao conhecimento dos membros de cada uma das suas comunidades eclesiais, porque, assim, as pessoas terão a possibilidade de conhecer uma parcela considerável da verdade dos fatos que, por certo, não é transmitida pelos meios de comunicação de massa. E, assim, os fiéis cristãos terão a possibilidade de tomar suas decisões eleitorais livremente, sem o véu e o viés da ignorância. E, aí, o próprio Cristo, na sua onisciência, saberá quem, na hora do escrutínio, decidiu por votar a favor dos valores dEle ou a favor dos valores deste mundo, isto é, quem, entre nós, é joio e quem é trigo. Esta é a chance que ainda temos para que no Brasil não vivamos sob a égide de uma ditadura esquerdista, travestida de democracia, como um lobo vestido com pele de ovelha.

Que esse seja o nosso engagement, enquanto cristãos conscientes do nosso papel de ser luz e sal na terra, frente às Eleições ideológicas de 2010.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

NEM TODO MUNDO NO PP É TRAÍRA

Caiu como uma bomba no palácio das esmeraldas a informação deste último final de semana que dava conta de uma articulação totalmente nova na política goiana. A articulação vem da coordenação do movimento que reuniu 31 prefeitos do PP goiano em um almoço com o senador Marconi Perillo semana passada em Brasília. Neste almoço os prefeitos do PP reclamaram das posições da cúpula pepista em Goiás e reafirmaram suas posições de não acatar tudo que o comando do partido está decidindo, sobretudo sobre as eleições 2010 no estado. Em primeiro lugar a pré-candidatura de Vanderlan/PR ao governo de Goiás não foi discutida com as bases. Vanderlan é tido por muitos prefeitos como arrogante e desarticulado. Vanderlan cultiva antipatia gratuita entre a maioria dos 48 prefeitos do PP no estado de Goiás. Um dos motivos dessa antipatia é a proximidade de Vanderlan com Sandro Mabel, tido e havido como o político goiano menos confiável. Em segundo lugar apoiar a pré-candidatura de Vanderlan/PR, no entendimento desses 31 prefeitos  do PP, significa trair de modo claro e explícito aquele que foi o grande cabo eleitoral deles todos que foi o senador Marconi Perillo. Essa traição não é aceita pela maioria dos prefeitos do PP. É verdade que Marconi Perillo ajudou quase todos os pepistas a conquistarem suas eleições no pleito passado. Para muita gente no interior de Goiás essa facada nas costas de Marconi que a cúpula do PP está dando é inaceitável. Valores como a gratidão e a lealdade são levados muito a sério pela maioria dos goianos inclusive os da política. É com base nestes valores que prefeitos do PP estão articulando aquilo que seria a maneira correta do PP reconhecer que tem por obrigação exercitar o bom caráter e caminhar no projeto do PSDB nas eleições de 2010. Está em andamento a articulação para que o deputado federal Roberto Balestra seja indicado pelo PP como vice na chapa encabeçada por Marconi Perillo. Os prefeitos enxergam na chapa Marconi/Balestra a maneira mais prática de derrotar o adversário em comum que é o PMDB. Roberto Balestra é depois do governador Alcides Rodrigues o nome mais respeitado do PP. Com seis mandatos de deputado federal, Roberto Balestra é o político do PP goiano de maior  respeitabilidade no congresso nacional. Balestra foi sempre defensor da manutenção da base que ganhou e deu sustentação a dois governos para Marconi Perillo e para o governo Alcides Rodrigues. Esses prefeitos tem força para encarar a truculência de Sergio Caiado presidente da legenda e que tem verdadeiro ódio por Marconi? O comando do PP tem força para enfrentar 31 prefeitos e suas lideranças dentro do partido? Existe manha e artimanha que podem ser feitas no sentido de frustrar o interesse desses 31 prefeitos dentro do partido? Seria inteligente forçar o partido a apoiar a candidatura Vanderlan sem a aprovação e engajamento das bases? Perguntas para serem respondidas pelas partes pepistas envolvidas neste verdadeiro jogo de xadrez exclusivo deles. Do episódio todo há uma certeza que deve ser destacada por quem está apenas observando o jogo: No PP de Goiás nem todo mundo é traíra! Ainda bem.

sexta-feira, 12 de março de 2010

POR QUE O CORONEL USTRA É ODIADO PELA ESQUERDA

Parte do texto escrito por Félix Maier. Texto completo no http://tinyurl.com/y8zjtua

Félix Maier
10 Março 2010




Assim, falar, hoje, em Lei da Anistia é discorrer sobre o que não existe mais. Para enterrá-la de vez, falta apenas colocar Ustra na cadeia. Os terroristas derrotados de ontem não irão sossegar até ver o coronel preso ou morto. Daí o esforço de Tarso e Vannuchi, que quiseram impor ao povo brasileiro, goela abaixo, o famigerado PNDH-3. A campanha sistemática de difamação que sofre o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra desde o show midiático de mentiras promovido pela antiga deputada petista Beth Mendes, em 1985, remete a algumas perguntas:

- Por que o coronel Ustra é tão odiado pelos terroristas e "militantes" de esquerda?

- Por que o coronel Ustra é submetido à tortura pública, quase que diariamente, junto com sua família, em artigos revanchistas, publicados em revistas e jornais, tendo que se defender em vários processos, que o qualificam de "torturador" no período em que comandou o DOI/CODI/II Exército, em São Paulo, de 29/09/1970 a 23/01/1974?

- Por que os terroristas das Brigadas Vermelhas, da Itália, e os terroristas do Baader-Meinhof, da Alemanha, foram para a cadeia, enquanto que os terroristas brasileiros recebem altas indenizações em dinheiro, algumas milionárias?

- Por que a antiga dupla terrorista Tarso "Béria" Genro e Paulo "Torquemada" Vannuchi se empenhou tanto em modificar a Lei da Anistia, de modo que apenas os militares e policias das Forças de Segurança, tachados de "torturadores", sejam presos, ao mesmo tempo em que os assassinos "terroristas" de esquerda sejam poupados, como quer o famigerado PNDH-3?

O DOI/CODI do antigo II Exército (atual Comando Militar do Sudeste) foi criado em 1970, em substituição à antiga Oban (Operação Bandeirantes). Na cidade de São Paulo reuniam-se as organizações terroristas chamadas de "Grupos de Fogo", que executavam ações armadas violentas, matando inocentes, assaltando quartéis em busca de armas e roubando bancos, carros-fortes, supermercados e casas d'armas. Apesar dos esforços do então chefe da Oban, Major Waldir Coelho, e do chefe do DOPS paulista, delegado Sérgio Paranhos Fleury, as ações terroristas eram crescentes. Ao final do comando de Ustra no DOI/CODI, os grupos terroristas tinham sido desbaratados e muitos de seus integrantes foram eliminados fisicamente. Estes fatos explicam o ódio que os terroristas nutrem por Ustra até hoje. Mentirosamente, Tarso, Vannuchi e outros terroristas propalam o mito de que lutavam pelo retorno da democracia no Brasil, quando está provado que queriam impor uma ditadura comunista, nos moldes de Cuba, desde 1961, durante o governo João Goulart. Se esses terroristas tivessem conseguido o intento, hoje estaríamos sendo governados por um Fidel ou um Chávez, ou então, na melhor hipótese, estaríamos lutando contra as FARB do "guerrilheiro" José Genoino nas selvas de Xambioá, assim como a Colômbia - que não teve seu AI-5 - luta até hoje contra as FARC. Aliás, falar em Lei da Anistia, hoje, é falar sobre um fantasma, pois aquela lei de reconciliação nacional, discutida amplamente por toda a sociedade, apoiada, então, pela mesma OAB que hoje a rejeita, é uma lei que não existe mais. A lei da Anistia original, contra a qual foram personalidades como Ulysses Guimarães - que não queriam a anistia de concorrentes à presidência da República, como Leonel Brizola e Miguel Arraes -, não anistiava os crimes de sangue, nem previa indenizações pecuniárias a assassinos ou "perseguidos políticos".
De inspiração stalinista, o PNDH-3 tem por objetivo atentar contra as instituições nacionais, a saber:
- contra as Forças Armadas, ao propor a modificação da Lei da Anistia, de modo a punir apenas os que combateram o comunismo no passado, deixando de fora os terroristas, muitos deles hoje no poder, como Franklin Martins, Dilma Rousseff, Tarso Genro (recém-licenciado), Paulo Vannuchi, Carlos Minc etc.; o Plano quer subverter a hierarquia da Segurança Pública, de modo que as Polícias Militares e os Corpos de Bombeiros não sejam mais Forças Auxiliares das Forças Armadas, mas subordinadas à Guarda Nacional Petista que atende pelo nome de Força Nacional de Segurança Pública;

- contra a família e a Igreja, ao propor o casamento entre homossexuais, além da retirada de objetos religiosos, como crucifixos, de locais públicos;
- contra o elementar direito à vida, previsto na Constituição Federal, ao propor o aborto livre;

- contra a liberdade de expressão, ao propor censura prévia nos meios de comunicação;

- contra a propriedade privada, ao propor que os produtores rurais não possam recorrer imediatamente ao judiciário, contra os bandoleiros do MST, para reintegração de posse de suas terras e benfeitorias.

Atualmente, a OAB apoia a vil tentativa de enterrar a Lei da Anistia, para criminalizar apenas os antigos agentes de Segurança, como Ustra, ao mesmo tempo em que afaga as barbichas dos assassinos terroristas. Por essa patifaria, a OAB deveria mudar sua denominação para Organização de Apoio aos Bandidos.

Mal comparando, Ustra é o bode expiatório do governo dos militares, assim como José Roberto Arruda, governador do DF, atualmente preso na Polícia Federal, é o bode expiatório das falcatruas dos políticos, para que todos esqueçam o mensalão petista, a propina dos R$ 10 milhões concedidos pelo PT ao partido de José Alencar, para concorrer como vice de Lula (fato confirmado por Ricardo Kotscho em seu livro Do golpe ao Planalto), e a montanha de dinheiro dos "aloprados" petistas para venda de falso dossiê sobre José Serra e Geraldo Alckmin. Tivessem Ustra e demais integrantes dos órgãos de Segurança adotado as ações revolucionárias de Fidel e Che, que executaram milhares de pessoas no paredón e nas masmorras cubanas, não haveria esse revanchismo atual, já que esses terroristas há muito tempo estariam prestando continência ao demônio. Nesse sentido, não há como não concordar com o deputado Jair Bolsonaro, que lamenta que a "limpeza" não tenha sido mais ampla. Não tenho nenhuma dúvida de que se os tarsos, vannuchis, dirceus e dilmas tivessem vencido os militares, Ustra e demais agentes de Segurança não estariam hoje entre os vivos, nem eu para escrever sobre o assunto. Uma coisa é certa, coronel Ustra, e nos remete à resposta definitiva face à pergunta formulada no título: se a esquerda o odeia tanto, é porque o senhor fez um trabalho fundamental à frente do DOI/CODI, acabando com o terrorismo em São Paulo. O ódio que os terroristas nutrem pelo senhor é a prova definitiva de que o senhor fez um trabalho correto e muito bem feito.

Lembre-se sempre de uma coisa, coronel Ustra: NINGUÉM PODE SER MAIS ELOGIADO DO QUE MERECER O ÓDIO DA ESQUERDA!

quinta-feira, 11 de março de 2010

NUNCA ANTES NA NOSSA HISTÓRIA

A festa de aniversário do senador Marconi Perillo, com uma comprovada e enorme repercussão popular, trouxe mais uma vez a certeza de que a campanha de difamação movida durante quase quatro anos pelos seus adversários não produziu nenhum efeito. Marconi tem sido combatido com dureza nem tanto pelo PMDB, como seria de se esperar, mas pelos seus próprios ex-aliados, a começar pelo governador Alcides Rodrigues – que ele e o PSDB ajudaram a colocar no poder. Os peemedebistas respeitam Marconi, mesmo porque conhecem na carne a força eleitoral desse jovem político, enquanto os seus ex-companheiros, que foram beneficiados por ele, ainda vivem na ilusão de que podem derrotá-lo. Na obsessão de destruir a liderança do senador tucano, o atual governo abriu mão de qualquer agenda positiva e aceitou o pesado ônus de criar em Goiás um ambiente negativo, de perseguições e de ações movidas pelo ódio e pela raiva. A obrigação de construir um projeto de desenvolvimento para o Estado foi deixada de lado, substituída pelo rancor transformado em política pública. Nunca antes na nossa história se viu algo parecido. Até hoje, exatos quatro anos depois de empossado, Alcides ainda mantém os olhos no passado e estimula a sua tropa a fustigar Marconi diariamente, com acusações e ataques disparados por membros graduados da sua administração e do seu partido. Funcionários são demitidos às claras, outros são perseguidos e humilhados, há um clima policialesco em repartições que deveriam estar cuidando da vida administrativa do Estado e até o presidente da República é trazido a Goiás não para anunciar benefícios para o povo goiano, mas para dar a sua triste contribuição às agressões contra Marconi Perillo. Nem na ditadura militar nosso Estado viu algo parecido. E nem nos governos do PMDB, que se esmeraram em punir o funcionalismo público e em dar a esse importante segmento social um tratamento injusto e cruel. A preocupação com Marconi é tanta que o governo investiu em uma campanha publicitária, estabelecendo comparações com a gestão do tucano, que foi imediatamente suspensa pela Justiça Eleitoral por ser ilegal e por tratar de campanha extemporânea. O senador Marconi Perillo, sabiamente, gasta pouco do seu tempo com o atual governo. Como o PMDB, que foi eleito pelo povo para fazer oposição a Alcides, resolveu aderir, em troca de cargos minguados, quem representa a verdadeira oposição hoje em Goiás são os jornais e as televisões. Jornais como O Popular e Diário da Manhã trazem quase que diariamente notícias ruins sobre a gestão que se aproxima do final. Epidemia de dengue, aliás a maior do país, quase uma centena de pessoas mortas por infecção hospitalar no Huapa, recorde em assassinatos, queda no crescimento do Estado e uma enxurrada de matérias negativas, destacando Goiás como um lugar repleto de problemas e situações críticas para a sua população. A reação do governo, inclusive na propaganda oficial, são anúncios em que se promete para o futuro algumas realizações. Na publicidade de Alcides, os verbos são conjugados no futuro. A famosa frase do governador, repetida há três anos, de que “vai faltar tempo para as inaugurações” não passou de um exercício retórico vazio, sem conseqüências práticas. Basta consultar a agenda para se constatar que está sobrando tempo para as “inaugurações” que não chegam nunca. Uma matéria publicada nesta semana na revista Época deveria ser lida e relida pelo grupo que usou a relação que o PSDB construiu com o povo goiano para se apossar do governo. Sob o título “O poder mostra quem somos”, a reportagem revela que as pessoas só se tornam conhecidas depois de receberem algum poder. Por exemplo, quando estão fora do poder os políticos dizem: “Eu nunca agiria dessa forma”, mas, uma vez instalados, mostram a sua verdadeira face e passam a fazer exatamente aquilo que negavam. Alcides ganhou a eleição elogiando Marconi e comprometendo-se a dar continuidade ao seu governo. Fez também um compromisso com os partidos que o apoiaram, dizendo em inúmeras entrevistas; “Não serei o coveiro da base aliada”. Quatro anos depois, a base está enterrada e o governo, em vez de governar, se dedica a tentar a destruição da liderança de Marconi por todos os meios ao seu alcance. Tivesse sido trilhado o caminho da lealdade e da responsabilidade para com os partidos e os líderes que suaram a camisa para a sua eleição, Alcides estaria hoje a poucos dias de se desincompatibilizar e caminhar para uma eleição tranqüila ao Senado Federal. Essa “promoção”, que viria de forma natural, sonho de todos os políticos brasileiros, simplesmente virou pó. Alcides, Braga, Sérgio Caiado e outros tantos se transformaram em políticos com data de vencimento, após a qual estarão fora do processo que realmente para o Estado. A estrada está aberta para Marconi Perillo. Que é uma estrada com muitos obstáculos, a maioria colocados pelos que ontem ele pensou serem amigos, sabemos que é e Marconi também sabe. Mas não é tão difícil quanto a estrada que o moço da camisa azul desbravou em 1998. Ele já está acostumado com as asperezas da política e agora mais amadurecido ainda depois do tremendo erro a que foi induzido em 2006. Mas também nunca antes na história deste Estado se viu uma traição tão grande assim.



quinta-feira, 4 de março de 2010

IRIS REZENDE COM JEITO DE NÃO CANDIDATO

O prefeito de Goiânia Iris Rezende se portou como quem não é candidato a nada nas eleições de 2010. Foi na quarta-feira dia 03 de março na festa dos melhores da política de 2009, promoção da revista FALA PREFEITO  e do instituto de pesquisas EPP, que premia anualmente os prefeitos, políticos, empresários e profissionais da comunicação que mais se destacam no ano em Goiás. Me pareceu muito estranha a forma como o prefeito se comportou no evento onde havia perto de uma centena de prefeitos, número igual ou maior de vereadores e líderes de vários municípios de Goiás. Nesse ambiente seria normal que alguém na condição de pré-candidato ao governo de Goiás fosse de mesa em mesa mostrar sua cara e seu "carinho" para com os presentes. Iris sempre fez isso. Eu mesmo já testemunhei esse comportamento do prefeito de Goiânia em várias oportunidades. Outro detalhe interessante: Iris se tivesse o desejo da falar no evento, naturalmente que falaria sem problema algun. Todavia, várias autoridades falaram e Iris ficou quieto na mesa das autoridades e por apenas alguns momentos. Chegou atrasado, não disse a que veio, saiu antes do término e deixou a impressão que não será candidato a nada neste ano. Muito sintomática a titude do prefeito. Iris não é assim. Iris Nunca foi assim. O prefeito de Goiânia nunca foi de perder oportunidades para demonstrar o seu maior dom que é o dom de conquistar via comunicação e carisma. Aí tem alguma coisa no ar além dos modernos aviões da Azul. Eu falo e nêgo duvida! 

quarta-feira, 3 de março de 2010

O SEGREDO DE MARCONI PERILLO

No final de semana que passou aconteceu algo no interior do estado de Goiás que supera com extrema clareza o fenômeno popularidade acima da média. Os protagonistas do fato foram o ex-governador de Goiás e atual senador da república Marconi Perillo e a população da cidade de Niquelândia na região norte do estado de Goiás, cidade com 40 mil habitantes. Marconi Perillo como um senador atuante, que não como faz a maioria dos senadores brasileiros que ao chegar ao senado federal se empolga com a função e praticamente abandona suas bases, está sempre presente em todas as regiões do estado. Na terra do querido Vilmar Rocha ex-deputado federal e pré-candidato a câmara federal, Marconi compareceu no sábado dia 26 de fevereiro para ao lado do prefeito Ronan Batista entregar algumas máquinas agrícolas à produtores rurais da região. Chovia bastante em toda região norte do estado. Mesmo assim um número muito grande de pessoas compareceu ao aeroporto da cidade para recepcionar Marconi. Nas ruas da cidade e no evento de entrega das máquinas agrícolas, uma verdadeira multidão não se importava com a chuva e empolgadíssima se manifestava fervorosamente apoiando o prefeito do PTB e o senador do PSDB. O deputado federal Jovair Arantes que é o presidente do PTB e que também estava em Niquelândia  se mostrava assustado com tanta gente na rua aplaudindo Marconi Perillo. O evento de Niquelândia foi tão fantástico em termos de participação popular que muito lembrava um comício de encerramento de campanha majoritária. E olha que os assuntos campanha eleitoral, votos, pré-candidatura ao governo de Goiás, sequer foram citados em todo o evento. Que fenômeno é esse? Que segredo Marconi Perillo tem para mesmo estando há quase 4 anos fora do governo de Goiás, ainda goze de tamanho prestígio junto a população do estado? Por que o povo do estado de Goiás não esquece Marconi? Por que Marconi arrasta multidões por onde passa, mesmo não havendo outros atrativos populares como shows, apresentações artísticas, etc...?   Qual o motivo que explica essa profunda ligação do povo goiano com o jovem senador da república? Parece complicado mas não é explicar porque Marconi é mais que um fenômeno político em Goiás. Marconi Perillo é o que é porque gosta do povo e gosta de gente. Marconi tem o jeito do povo e tem o jeito de gente. Há políticos que são apaixonados por povo, por massa a ser manobrada, todavia, detesta gente. Em Goiás mesmo há políticos que amam uma grande aglomeração de pessoas e até mesmo ser carregado nas costas pela multidão, mas, odeia quando tem a necessidade de atender gente cara a cara, olho no olho. Marconi é diferente. Marconi além ter sido o governador que marcou pela modernidade, que marcou por ter sido o governador que mesmo antes da virada do século XX para o século XXI cologou Goiás no terceiro milênio, que fez a história do nosso estado ser dividida  em duas partes: antes e depois do governo Marconi Perillo, é também o político goiano mais transparente que o povo conhece. Marconi fala com o coração para o coração dos goianos. Marconi não é dissimulado. Marconi não é produto de marketing. Marconi não é produto da demagogia e do populismo barato e superado nos dias de hoje. Marconista não é artista. Marconi é gente que gosta de gente. O povo percebe isso e retribui da maneira mais simples em se tratando de povo. O povo retribui a sinceridade e o carinho verdadeiro que recebe de Marconi com aplauso, com apoio, com entusiasmo e com parceiria. É isso que está por trás do grande sucesso com o povo que Marconi Perillo tem. Tentar desconstruir essa imagem que Marconi tem junto ao povo de Goiás é pura falta de juízo. Os adversários de Marconi e do PSDB precisam aprender essa verdade de uma vez por todas antes que seja tarde demais para todos eles. Esses covardes de agora pagarão na urna eleitoral um preço muito alto pelo enorme saco de maldades. Você não destrói uma parceira como essa entre Marconi e o povo goiano com campanhas medíocres de ataques pessoais e covardia. Você pode destruir quase tudo em uma democracia. Até mesmo a própria democracia pode perecer. Deus nos livre disso. Por outro lado, não é possível destruir aquilo que o povo construiu para si mesmo em sua alma. E eu falo e nêgo duvida! Aqui está o segredo de sucesso de Marconi Perillo junto ao povo goiano. Marconi está eleito na alma da maioria dos goianos como o melhor, o mais sincero, o mais verdadeiro de todos os governadores de Goiás. Marconi e o povo de Goiás estão cada vez mais unidos, cada vez mais parceiros, cada vez mais juntos em um amoroso laço de alma. Marconi é do povo de Goiás! Eis o segredo de Marconi.    

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

CRIADA A CPI DO DÉFICIT. E AGORA?

                                                                                                                               
Eu falo e nêgo duvida! O governador Alcides Rodrigues e o secretário da fazenda Jorcelino Braga não contavam com a CPI do déficit aprovada e instalada na assembléia legislativa de Goiás. Não por desconhecimento da legislação que garante o direito da minoria, pelo menos um terço da casa, de poder instalar qualquer comissão parlamentar de inquérito. O que Alcides, Braga e os estrategistas palacianos de plantão nunca esperavam é que Marconi Perillo tivesse tanto tutano para pedir, clamar, sugerir e influenciar a criação e aprovação da tão temida CPI do déficit ou do endividamento do estado. O Nome tanto faz. O que importa é que mais uma CPI foi criada e em breve tomará conta do noticiário político local. Adoro CPIs. O clima de uma comissão dessas é sempre de temor e de terror. Quem deve alguma coisa treme mesmo na frente de integrantes de qualquer CPI. Quem é contra CPI é porque tem rabo preso em alguma coisa. Quem luta pela não instalação de CPI é porque tem telhado de vidro. E nada mais convidativo que atirar uma pedra no telhado de vidro dos outros. Que maravilha! A verdade é que a mentira do déficit de R$ 100 milhões mensais foi criada para estrategicamente desgastar, desconstruir, arruinar a imagem política de Marconi Perillo em Goiás. Essa mentira por pouco não vira uma verdade absoluta. Mas porque tudo isso? Qual o motivo de tanto de ódio para com Marconi Perillo. Apenas uma simples explicação: inveja. Os corvos governistas, estes covardes e mal agradecidos de hoje, aqueles que necessitaram de ser carregados quase literalmente nas costas para estarem onde estão hoje, já comemoravam a colagem dessa imagem de o homem que quebrou Goiás em Marconi Perillo. Já davam por consumado esse fato. Mas o que eles não imaginavam é que Marconi Perillo fosse mesmo "madeira de lei". Sim, Marconi apanhou por muito tempo calado, se portou como um verdadeiro estadista enquanto as calúnias, as baixarias e as covardias quase que diárias se avolumavam em toda parte do estado. Como um cerne da melhor aroeira que sabe perfeitamente bem do que é feito e que a tudo e a todos resiste, Marconi Perillo suportou calado o pior de toda essa história, que é ser golpeado de modo tão baixo por quem sempre teve em tão alta conta. Isso é realmente muito dolorido. Até que não suportando mais a pressão dos verdadeiros amigos e aliados, até que não podendo mais segurar a reação dos que verdadeiramente lhe querem bem, daqueles que não podiam mais aguentar ver tanta facada nas costas de um amigo leal, Marconi reage. E a reação está configurada na assembléia legislativa de Goiás. A casa da democracia em Goiás, a casa política de maior importância do estado. A principal casa de leis da nossa terra, foi o território escolhido por Marconi para iniciar a sua batalha rumo ao estabelecimento da verdade nesse assunto déficit no governo de Goiás. E o instrumento escolhido para iniciar a batalha foi a peça democrática conhecida como CPI. A instalação da CPI do déficit na verdade mostra o quanto corajoso é Marconi Perillo. A CPI faz os alcidistas palacianos arrepiarem de medo. A verdade vem aí. A verdade está chegando. A verdade destrói os canalhas. A verdade do endividamento do estado de Goiás vai incrementar ainda mais a pré-campanha e a campanha de Marconi Perillo. Criada a CPI do déficit. E agora? E agora que lasquem em muitas bandas todos aqueles que semearam o mal. Bem que Deus avisou. Quem tem olhos para ver que veja: "Aquele que cometer injustiça receberá a injustiça em dobro, e nisso o Senhor não faz acepção de pessoas." Pode ser o secretário da fazenda ou mesmo o governador. Deus é Deus! E de Deus ninguém zomba! Eu falo e nêgo duvida!

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

CPI DO DÉFICIT: O TERROR DE JORCELINO BRAGA

O amadorismo na política é imperdoável. Fazer política é para quem tem a arte de realizar e pensar ao mesmo tempo. Muitos tentam, todavia, apenas uns poucos conseguem sucesso de verdade na política. Sucesso de verdade na política é a arte de conquistar mandatos e também a arte de liderar grandes homens e mulheres que são por sua vez também grandes líderes. Liderar massa é uma coisa. Líderar líderes é outra coisa completamente diferente. Só consegue isso quem realmente tem talento aliado a um profissionalismo irreparável. Na arte da política como em quase tudo na vida moderna de hoje não há espaço para amadores. Principalmente amadores que se intrometem no caminho de profissionais. Em Goiás estamos vendo a tentativa do secretário estadual da fazenda Jorcelino Braga em se contrapor políticamente ao senador Marconi Perillo, um grande líder político de Goiás e do Brasil, que consegue liderar outros grandes líderes da nossa terra e sem o poder da "caneta na mão". Isso é liderar. Isso é sucesso de verdade da vida pública. Braga tenta sair do submundo em que vive direto para os espaços mais nobres da política goiana. A vida não é assim. Braga não tem o direito de figurar entre os grande homens públicos de Goiás. Nem o direito de sonhar nessa situação ele tem. O secretário está tentanto atropelar a órdem natural das coisas. Braga teve a oportunidade de se aproximar dos políticos goianos em função de uma empresa de Factoring durante as campanhas eleitorais. Nesse período todos os políticos ficam desesperados para fazer dinheiro. Essas empresas compradores de recebíveis deitam e rolam nessa situação. Foi assim que Braga conquistou espaço e confiança de alguns políticos goianos. Um pitaco aqui, outro ali, e assim o homem que "ajudava" alguns políticos a irrigar seus caixas de campanha, surge mais que repentinamente como dono de algumas idéias para os programas eleitorais de alguns partidos. Pronto. Isso já bastou para que o hoje secretário fosse chamado de marketeiro. O resto da história todo mundo já sabe. O homem hoje é secretário estadual da fazenda. E no cargo, passou a patrocinar uma campanha de desconstrução da imagem do senador Marconi Perillo. Daí para ataques baixos foi um pulo. O que Braga nunca contou foi com o profissionalismo político de Marconi Perillo. Assustar uns "otários" devedores de empresinhas de factoring, qualquer um faz. Intimidar um animal político da estirpe de Marconi Perillo é missão impossível. Braga fez o que fez e hoje treme de medo do retorno negativo que isso tudo possa lhe dar. A estória, com E mesmo, do déficit mensal de R$ 100 milhões que Alcides Rodrigues teria herdado está fazendo o secretário ficar muito apertado de costura. A mentira está prestes a ser desmascarada. A CPI do déficit que o PSDB está propondo na Assembléia Legislativa está tirando o sono de Braga. Se a invenção do "marketeiro de cozinha" cair por terra, ele e todo o governo Alcides estarão completamente desmoralizados. Braga é amador em política, mas, disso ele sabe. A CPI do déficit tem tudo para deixá-lo mais destruído politicamente ainda. Sim, porque o episódio da filha de Braga praticando corrupção em nome do pai acabou com qualquer possibilidade de uma carreira política de sucesso. A CPI do déficit é um terror para Braga. Por isso há um extraordinário esforço do secretário para cooptar deputados no sentido de inviabilizar a instalação da CPI. Eu falo e nêgo duvida! No Brasil o único amador que deu certo foi o Aguiar do Bradesco. Com a CPI do déficit instalada, o hoje um pouquinho menos arrogante secretário Braga ficará na mesma situação que papagaio falador em casa de pobre: comendo na tábua. Por que tudo isso? Por puro amadorismo. Eu falo e nêgo duvida!

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

NINGUÉM SEGURA MARCONI PERILLO RUMO AO GOVERNO DE GOIÁS

O jornal Diário da Manhã divulgou nesta segunda-feira mais uma rodada da pesquisa de intenção de votos ao governo de Goiás, ao senado e a presidência da república, do instituto ECOPE. Eu falo e nêgo duvida! O ECOPE é o instituto que mais acertou nas últimas três eleições em Goiás. Basta observar as publicações dos jornais um dia antes e no dia das três últimas eleições sendo uma para o governo e duas para a prefeitura de Goiânia. Quem fizer isso constatará que os números do ECOPE batem com a realidade das urnas normalmente. Isso é bom. Repercutir pesquisas eleitorais no Brasil hoje em dia é uma tarefa muito complicada em função de tantos desencontros entre institutos tidos como "consagrados" no país. O respeitado ECOPE mostra neste último levantamento que o senador Marconi Perillo/PSDB é preferido por 51,6% do eleitorado goiano para ser o próximo governador de Goiás. O segundo colocado, prefeito de Goiânia Iris Rezende, tem 34,9% de inteção de votos. Marconi seria eleito no primeiro turno da eleição. Mas alguém pode indagar de pronto: Como crer na vitória de Marconi no primeiro turno se a campanha ainda não começou? Exatamente aí é que está o grande problema para os adversários de Marconi. O senador do PSDB é lembrado e preferido pela maioria dos eleitores pesquisados tão somente em função do RECALL que o eleitor tem dos seus dois governos. E olha que em março próximo serão quatro anos de Marconi fora do palácio das esmeraldas. Marconi é lembrado e preferido pela maiorias dos eleitores de Goiás para voltar a governar o estado pelo que fez nos seus dois governos. O eleitor ainda não sabe o que Marconi vai propor na campanha eleitoral. O governador que modernizou Goiás há 12 atrás, certamente fará propostas outras no caminho da modernidade que surpreenderá o eleitor goiano. Quem criou programas sociais que inspiraram vários governos estaduais Brasil a fora e até mesmo o governo federal, é claro que apresentará idéias inovadoras nesta área. Quem criou a UEG e lhe dando condições de levar o ensino superior a todas as regiões do estado, quem criou o Bolsa Universitária que garantiu o acesso a universidade e o diploma de curso superior a milhares de jovens em Goiás, terá com certeza propostas revolucionárias p/ transformar a UEG em além de maior, na melhor universidade do Centro-Oeste do Brasil. Não temos campanha eleitoral ainda. As propostas ainda não são do conhecimento do eleitor. Marconi Perillo é o mais massacrado político de toda a história política de Goiás. "Nunca antes na história" deste estado alguém foi tão perseguido, massacrado e injustiçado como o senador do PSDB tem sido nos últimos 3 anos. Desconstruir a imagem política de Marconi Perillo tem sido o papel principal de muitos daqueles que não suportam o surgimento de uma liderança tão forte e tão identificada com o povo como é a liderança de Marconi. Algumas "forças" políticas em Goiás não conseguem dormir em paz sabendo que um jovem deputado federal chegou ao governo de Goiás e marcou pela modernidade. Chegou ao senado e disse a que veio conquistando na mais alta casa de leis do país, espaços até então jamais sonhados por um outro senador goiano. Por tudo isso Marconi sofre o maior ataque que um político já sofreu na nossa história. Há 3 anos o bombardeio é constante. E apesar do massacre o "moço da camisa azul" resiste firme. O eleitor goiano parece perceber claramente a intenção daqueles que tentam destruir a imagem vitoriosa de Marconi. Tanto percebe que permanece ao lado do homem que modernizou Goiás. E a campanha nem começou. Marconi nem mostrou ao eleitor goiano o que Goiás pode receber com um novo mandato seu como governador. Eu falo e nêgo duvida! Marconi não abandona o povo de Goiás. O povo de Goiás, como demonstram as pesquisas de intenção de voto, também não abandona Marconi Perillo. Sendo assim, está claro que o povo goiano já combinou o que fazer em outubro próximo: Marconi governador. Eu falo e nêgo duvida!

TIGRÃO PAI D'ÉGUA MOSTRA SUA CARA EM CATALÃO

Hoje a noite o Vila Nova mostra a sua cara em Catalão quando enfrenta pelo goianão 2010 a equipe do Crac. A equipe catalana foi goleada em Goiânia na rodada passada. 4x0 em favor do Tigrão foi o placar do Onésio Brasileiro Alvarenga. O Vila não jogou bem e sobrou futebol. O Crac não jogou nada apesar de ser líder até a rodada anterior. Coisas do futebol. Hoje o favorito pra vencer é o Crac com toda a certeza. Jogando em seu estádio o time de Catalão vai pra cima do adversário e haja meios para suportar tamanha pressão. Por tudo isso o jogo de hoje é mais que um teste de ferro para o Vila Nova. Se o Tigrão passar no neste não sofrendo uma derrota esta noite, estará definitivamente conquistando a confiança do seu torcedor quanto a ser um time que pode brigar pelo título. E se deixarem o Vila chegar para disputar a taça do goianão é bom que todos saibam: fica difícil segurar a máquina de vermelho. Eu falo e nêgo duvida!