segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Bancários rejeitam proposta de patrões resolvem permanecer em greve.



Por unanimidade, bancários decidem manter a greve em assembleia realizada na quadra dos bancários, nesta segunda-feira (7), em São Paulo. Segundo o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, cerca de mil pessoas votaram pela rejeição da proposta feita pela Fenaban (sindicato patronal) de reajuste salarial de 7,1%, ou seja, aproximadamente 1% de aumento real.

A greve completou hoje 19 dias e, de acordo com balanço do sindicato, nesta segunda houve a paralisação de 608 locais de trabalho e a participação de cerca de 32 mil trabalhadores. O sindicato tem 2.835 agências bancárias em sua base. Durante todo o período de greve, o autoatendimento nos caixas eletrônicos continua funcionando normalmente.NACIONAL

Nesta segunda, de acordo com o Comando Nacional dos Bancários, foram fechadas 11.717 agências e centros administrativos de bancos privados e públicos em todos os 26 Estados e no Distrito Federal –o que representa um crescimento do movimento de 90,6% em relação ao primeiro dia, quando 6.145 estabelecimentos financeiros foram parados. Segundo o Banco Central, o Brasil conta hoje com 22.630 agências em funcionamento atualmente.

REIVINDICAÇÕESOs bancários reivindicam, principalmente, reajuste salarial de 11,93% –sendo 5% de aumento real, maior participação sobre lucros e resultados e fim das exigências de mínimo de venda de produtos do banco por seus funcionários. Eles pedem também um piso salarial de R$ 2.860,21.