quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Homem mata patroa à paulada por te-lo chamado de nordestino


Violência

A Polícia Civil de São Paulo informou que prendeu um caseiro suspeito de matar uma microempresária, no município de Peruíbe, distante 141 quilômetros da capital. O homem de 39 anos e nascido em Pernambuco, contou que cometeu o crime porque a vítima o chamou de “nordestino” usando um tom preconceituoso, o que o deixou ofendido.
O caseiro foi detido no dia seguinte ao crime, no dia 15 de outubro, na cidade do Rio de Janeiro. Ele foi ao outro Estado para se esconder na casa de parentes, mas lá acabou se entregando à polícia. A investigação, entretanto, apontou que ele e a vítima discutiram por um possível envolvimento do acusado com o tráfico de drogas. Ela suspeitou que ele estaria alugando seu imóvel para criminosos.
Com uma escultura de madeira maciça conhecida como carranca, o caseiro agrediu a microempresária na parte de trás da cabeça, o que causou uma hemorragia. A vítima, de 56 anos, morreu na hora. De acordo com a polícia, o homem amarrou o corpo da mulher em sacos plásticos e o envolveu em panos que estavam no varal. Em seguida, de acordo com as apurações da Polícia Civil, o acusado lavou o local do crime com água sanitária, sabão e água.
Corpo encontrado
Vinte minutos após o delito, o caseiro colocou a vítima dentro de um Fiat Doblo verde, da própria patroa, e abandonou o corpo numa área de vegetação próxima à praia do Caramborê. Cortadores de palmito, que trabalham na região da beira da estrada, encontraram o cadáver e chamaram a Polícia Militar. A necropsia realizada pelo Instituto Médico Legal (IML) mostrou que a causa da morte foi hemorragia, decorrente da agressão.