sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Paulo Garcia (PT) cobrará IPTU mais caro dos pobres de Goiânia.


IPTU
O vereador Elias Vaz (PSB) questiona as disparidades dos índices de reajuste do IPTU/ITU anunciados pela prefeitura. Um dos pontos que chamam a atenção é o aumento de 31% a 37% referente a ‘logradouros especiais’. Quem mora ou tem comércio, por exemplo, nas avenidas T-63, Anhanguera, Goiás (até a Independência) e 24 de Outubro vai pagar o índice mais alto: 37%. Enquanto isso, os lojistas do shopping Flamboyant, incluído na segunda zona fiscal, vão pagar 34% de aumento.
“Quem tem maior capacidade contributiva? O dono de uma lojinha no centro ou o de uma loja de um dos principais shoppings do Estado? Os comerciantes da T-63 constantemente reclamam de desvalorização, os da 24 de Outubro, em Campinas, há muito tempo pedem socorro ao poder público, que nunca fez nenhum tipo de revitalização na área”, questiona Elias Vaz.
O vereador aponta outras discrepâncias: enquanto moradores do centro e Setor Aeroporto, por exemplo, serão penalizados com aumento de 33%, por estarem inseridos na primeira zona fiscal, e os do Criméia Leste e Oeste e Norte Ferroviário, bairros da segunda zona fiscal, terão aumento de 30% no imposto, quem vive em condomínios fechados de alto padrão, como Granville, Jardim Florença ou Aldeia do Vale, vai pagar 27% a mais de IPTU/ITU, o mesmo índice de moradores de bairros como Jardim Curitiba e Vale dos Sonhos, todos da terceira zona fiscal. “Esses índices comprovam como é falho o sistema de cobrança por zoneamento fiscal, que não faz justiça e exige ao máximo de quem não tem condições de pagar valores altos de imposto”, ressalta Elias Vaz.







Fonte: Brasil 247