sábado, 21 de dezembro de 2013

Mulher morre eletrocutada ao fazer chapinha em SP


mulher que morreu
A auxiliar de escritório Cristina Barbosa Marcolino, de 30 anos, morreu eletrocutada quando alisava os cabelos com uma chapinha, na noite de quinta-feira (19), em Várzea Paulista, região de Jundiaí (SP). O pai de Cristina ouviu um barulho e a encontrou caída no chão do quarto, na casa da família, na Vila São José.
Cristina não conseguiu pedir socorro. Ela preparava-se para sair com o namorado. A mulher foi levada ao hospital da cidade, mas já chegou morta. Os médicos ainda tentaram reanimá-la, sem sucesso. O corpo foi levado para o Instituto Médico-Legal (IML) de Jundiaí. De acordo com o laudo, a auxiliar de escritório sofreu uma parada cardíaca em razão do choque elétrico.
 A Polícia Civil afirmou que, apesar de tudo indicar que a morte foi acidental, a causa será investigada. O aparelho usado pela vítima será submetido à perícia. A rede elétrica também será examinada. De acordo com relato feito por familiares, Cristina tinha saído do banho e estava descalça, com os pés úmidos sobre o piso, o que pode ter contribuído para a descarga elétrica. De acordo com o pai, Orlando Marcolino, a filha havia trabalhado como hair stylist e tinha experiência no uso da chapinha. A mulher foi enterrada nesta sexta-feira, 20, no Cemitério Nossa Senhora do Montenegro, na própria cidade.