quarta-feira, 26 de março de 2014

Marconi Perillo corrige injustiça com mais 500 servidores da extinta Caixego

Governadores e os 500 servidores da extinta Caixego se emocionaram com o fim do dilema

Marconi Caixego
Pouco mais de 23 anos depois de terem sido demitidos, 500 ex-servidores da extinta Caixego voltaram hoje aos quadros do funcionalismo do Governo do Estado. A companhia foi liquidada extrajudicialmente por meio do Comunicado nº 2.195 do Banco Central, de 20 de setembro de 1990. O auditório Mauro Borges, do Palácio Pedro Ludovico Teixeira, ficou completamente lotado com a presença dos ex-servidores, que levaram também familiares para testemunhar a reintegração.
No segundo lote de enquadramento – a primeira foi realizada em setembro de 2013 – o governo chega a porcentual de 67% dos ex-servidores reaproveitados. Os restantes 33% deverão ser chamados em 2015, segundo previsão da Lei n° 17.916/2012, que concedeu anistia para os ex-servidores. Ao todo foram enquadradas na anistia 1.720 pessoas.
No discurso de saudação, o governador afirmou que os novos servidores vão agregar “muito valor” à administração pública goiana e que a liquidação extrajudicial da Caixego foi uma “página negra” na história de Goiás.
De acordo com Marconi, a reinserção dos ex-servidores da Caixego nos quadros do funcionalismo estadual só foi possível porque estabeleceu-se uma “relação de confiança” entre eles e o governo. “Na vida, confiança é tudo”.  Marconi ressaltou ainda que o governo estadual está muito satisfeito com o trabalho que vem sendo prestado pelos ex-servidores que já foram chamados. “Estão sendo uma mão de Deus a nos ajudar”, disse, referindo-se ao primeiro grupo, reconduzido no ano passado.
“O nosso governo teve a coragem de enfrentar o problema e buscar uma solução jurídica – e devo dizer que não foi uma tarefa fácil, porque não eram poucos os que diziam que essa era uma “causa perdida”, afirmou Marconi no discurso.
Os ex-servidores, a exemplo do grupo anterior, receberam hoje mesmo as portarias de enquadramento e os atos de lotação. Antes iniciarem o pleno exercício, eles passarão por um curso de aperfeiçoamento pela Escola de Governo, nos dias 26 e 27 próximos.