terça-feira, 18 de março de 2014

Marconi Perillo investe R$ 118 milhões em reformas de escolas em Goiás

Governador Marconi Perillo quer chegar a 1080 escolas reformadas até o final do ano

Rincón e Marconi
O Colégio Estadual Pedro Xavier Teixeira, de Goiânia, é uma das 1035 unidades escolares reformadas pelo Governo Marconi Perillo nos últimos quatro anos em todo o Estado. Através do programa Nossa Escola, da Secretaria da Educação (Seduc), foram investidos, desde 2011, R$ 118,6 milhões. A meta do Nossa Escola é chegar a 1080 unidades escolares contempladas até o final deste ano.
O Programa repassa os recursos diretamente para os Conselhos Escolares, responsáveis por definir as reformas e reparos emergenciais necessários. No caso do Colégio Pedro Xavier Teixeira, a diretora da unidade, Deusilamar Seabra, informa que até no final deste semestre a escola passará por sua terceira reforma.
O colégio receberá um valor de R$ 150 mil, que será usado para dividir os refeitórios em dois ambientes, reformar os banheiros e realizar a pintura. Nas outras reformas, os telhados foram trocados, foi restaurada a parte elétrica e promovida uma pintura geral. A unidade escolar, de tempo integral desde 2013, atende atualmente 300 alunos de Ensino Médio em 22 salas de aula.
A diretora ressalta que as reformas proporcionam mais conforto e um ambiente mais adequado tanto para os alunos como para os profissionais. “É uma outra realidade quando está tudo arrumadinho. Salas pintadas, cobertura boa, também fizemos os banheiros com acessibilidade. Então muita coisa mudou. Os alunos comentam todos os dias”. Ela ressalta  que a escola reformada facilita também para a conservação, “porque o aluno se sente melhor e privilegiado”, diz.
Pesro Xavier Teixeira
Regiões contempladas
Em Goiás, entre as regiões que mais têm escolas reformadas, destacam-se a Região Metropolitana, com 110 unidades, seguida da regional de Aparecida, com 76, e da regional de Anápolis, com 71.
A diretora do Colégio Estadual Antensina Santana, de Anápolis, Catarina Cássia, conta que a unidade foi reformada há pouco mais de um ano, quando foi realizada a pintura geral e a troca de parte do telhado. “Antes as paredes estavam descascadas e quando chovia tinha goteira”. Foram investidos R$ 100 mil. Segundo Catarina, agora a unidade recebe uma verba todo ano para a manutenção.