segunda-feira, 31 de março de 2014

Marconi Perillo lança programa que repassa dinheiro diretamente para reforma de delegacias e quartéis

Governador pretende, ao eliminar a burocracia, agilizar as reformas que as unidades de segurança precisam urgentemente

Marconi Segurança
Serão destinados cerca de R$ 4 milhões para reformas e melhorias em delegacias daPolícia Civilquartéis da Polícia Militar e Bombeiros, além das unidades da Polícia Técnico-Científica de todo o Estado. Lançado nesta segunda-feira, dia 31, o Programa Dinheiro Direto nos Quartéis e Delegacias (PDDQD) diminui a burocracia para aplicação dos recursos, que serão administrados diretamente pelos gestores de cada unidade. Programa semelhante deve ser implantado na Secretaria de Administração Penitenciária e Justiça (Sapejus), para reformas das cadeias e presídios, e na Secretaria de Cidadania e Trabalho (Sect) voltado para Centros de Atendimento Socioeducativo e de Internação de Adolescentes. O anúncio foi feito pelo governadorMarconi Perillo durante a solenidade de lançamento.
“Com essas ideias e iniciativas simples, porém resolutivas e funcionais, nós estamos mudando para melhor a situação dos próprios físicos do Estado.  Físicos indispensáveis à boa prestação  do serviço público. É claro que muitas outras necessidades existem e nós vamos procurando suprí-las, com o passar do tempo a valorização profissional de cada um, mas para se ter um bom serviço é preciso ter um bom ambiente de trabalho  e é o que nós passamos a possibilitar”, comentou o governador. Marconi Perillo destacou que o Dinheiro Direto nos Quartéis segue o exemplo do Nossa Escola, que já possibilitou a reforma de 1.050 mil escolas estaduais goianas com um investimento de R$ 130 milhões. O êxito do programa fez com que ele se tornasse um modelo a outras áreas do Governo.
Inicialmente estão sendo investidos R$ 4 milhões, mas caso haja necessidade, esse valor pode ser ampliado. Esse montante pode ser utilizado na aquisição de material e serviços e obras físicas, sendo que as aquisições de material e serviços que ultrapassarem R$ 8 mil e as obras de até R$ 15 mil poderão ser feitas sem licitação. A aplicação dos recursos será fiscalizada por conselhos compostos pelos gestores e membros da sociedade civil (por meio dos Conselhos de Segurança Pública), além das autoridades competentes. O recurso é do  Fundo Estadual de Segurança Pública(Funesp) e outras fontes do Governo de Goiás.