quarta-feira, 26 de março de 2014

Senador Mário Couto defende o impeachment de Dilma Rousseff

Senador paraense entende que Dilma Rousseff cometeu e confessou crime grave contra o Brasil

Senador Mário Couto
O senador Mário Couto (PSDB-PA) defendeu o impeachment da presidente Dilma Rousseff ao afirmar que o Congresso Nacional tem os elementos suficientes para afastá-la da presidência da República. Ele mencionou a decisão do Conselho de Administração da Petrobras, presidido por Dilma à época, de aprovar a compra da refinaria Pasadena, nos Estados Unidos, a partir de um laudo considerado falho pela própria presidente.
A atitude, na opinião de Mário Couto, configuraria ato de improbidade administrativa. A oposição afirma que o negócio resultou em prejuízo superior a US$ 1 bilhão.
- Isso aí é impeachment, claro, mas claro e cristalino. Só não é impeachmada se este Congresso não quiser impeachmá-la. Ela cometeu um crime e confessou o crime. Ela disse que assinou, mas não sabia o que estava assinando. Crime de improbidade administrativa.