domingo, 4 de maio de 2014

Dívida de R$ 1,3 Bi: Júnior Friboi estaria deprimido e pressionado a abandonar a política

Dívida de R$ 1,3 Bi: Júnior Friboi estaria deprimido e pressionado a abandonar a política


Júnior Friboi terá que conviver com a marca de sonegador em função da dívida de R$ 1,3 Bi ao estado de Goiás

O empresário Júnior Friboi está sendo pressionado por parte de sua família a abandonar o barco da política. Explodiu como uma bomba de poder fantástico de destruição a notícia divulgada pelo jornal O Popular em Goiás dando conta de que a JBS FRIBOI deve R$ 1 ,3 bilhão ao estado de Goiás só em função de sonegação. Júnior Friboi mal começou a comemorar a vitória que obteve ao defenestrar o velho cacique, Iris Rezende, do PMDB e já tem um material explosivo desses no seu calo.
O grande problema da dívida bilionária da JBS FRIBOI com o estado de Goiás é que não trata-se simplesmente de uma dívida qualquer. Dívida todo mundo tem. Principalmente empresas e empresários. O grande problema é que essa montanha de dinheiro que a JBS FRIBOI deve ao estado de Goiás é fruto de sonegação. Sim, sonegação é um crime fiscal gravíssimo. Júnior Friboi terá que conviver com o pecha de sonegador a partir de agora. Isso é inevitável! Esse é o principal motivo pelo qual muita gente na família e na empresa JBS FRIBOI tem pressionado o empresário a desistir do seu sonho de poder em Goiás.
Iristas e petistas comemoraram o vazamento de informações sobre a bilionária dívida de R$ 1,3 bilhões do grupo JBS/Friboi com o Estado de Goiás. O entendimento da turma de Iris Rezende e Antônio Gomide é que a candidatura de Júnior Friboi ficou inviabilizada após a publicação da denúncia pelo jornal O Popular. O entendimento é de que o neopeemedebista ficou sem condições morais de pleitear o cargo de governador com as empresas de sua família numa disputa jurídica com o Estado em função de uma suposta sonegação bilionária.
A dívida bilionária do grupo JBS/Friboi com o Estado poderá virar objetivo de investigação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito na Assembleia de Goiás. A ideia de propor uma CPI foi discutida neste fim de semana por três deputados do PSDB, um do PMDB e outro do PT, depois que o jornal O Popular divulgou reportagem respeito da sonegação de R$ 1,3 bilhões em ICMS pelo grupo e se reforçou com a declaração e Júnior Friboi reclamando do vazamento de informações, mas sem negar o débito.
O grupo acha que a Assembleia não pode se omitir diante de assunto de tamanha gravidade, devendo apurar inclusive como o jornal teve acesso aos dados. Por enquanto, os parlamentares não falaram publicamente sobre o tema, preferindo dar notícias apenas quando estiverem com as assinaturas necessárias colhidas. Pessoas próximas a Júnior Friboi comentaram que o empresário  está muito abalado e abatido com a denúncia do jornal O Popular sobre a dívida bilionária do grupo JBS/Friboi com o Estado. Há informacões até de uma possível depressão por parte do empresário.
Com informações do Goiás 24 Horas