terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Homem que matou empresário no Marista “comprou” briga de amigos


matou

Áulus Rincon
Autor do disparo que matou na madrugada do último dia 23 de novembro o empresário Anor Pereira da Silva Filho, 28, o comerciante Flávio Fernandes da Silva, 26, segundo a polícia, sequer participou da discussão que aconteceu dentro do Bar e Restaurante Alabama no Setor Marista. Flávio, que tem passagens pela polícia por furto e receptação, teria “tomado as dores” de dois amigos que dentro do bar discutiram com a vítima.
Imagens divulgadas pela polícia mostram o momento em que, após sair do Alabama em seu veículo, Anor discute com outras pessoas em um Sonata escuro. Durante a discussão, Flávio, que estava em um importado BMW de cor branca fecha o carro do empresário, desce e efetua dois disparos. Um dos tiros atingiu a testa de Anor, que mesmo socorrido pelo SAMU morreu no Hugo.
Após ouvir pessoas que estavam com a vítima e funcionários do bar e do estacionamento do Alabama, o Delegado Thiago Torres, adjunto da Delegacia Estadual de Homicídios descobriu que Anor discutiu com dois homens que estavam com Flávio após eles terem acusado o empresário de dirigir gracejos para uma mulher. “Ficou aquele bate boca com o Anor afirmando que não havia mexido com ninguém até porque ele era casado, mas na saída aconteceu o crime, sendo que o Flávio, apesar de estar na mesa com a namorada não teria participado da confusão”, destacou o delegado.
Após o crime, Flávio, que já teve loja de auto peças na Vila Canaã e no início deste ano foi preso por receptação, fugiu para a casa de parentes em Caldas Novas, onde foi preso na última sexta-feira. O acusado confirmou que estava no bar, mas nega participação no crime, porém não consegue explicar as filmagens que mostram toda a ação.
Já identificados, os dois amigos de Flávio estão sendo procurados para prestar depoimento, e se comprovado que eles sabiam que o empresário seria executado ambos também terão suas prisões solicitadas. Presentes na Delegacia Estadual de Homicídios durante a apresentação do acusado, parentes do empresário chamaram Flávio de criminoso e o acusaram de ter destruído uma família.