domingo, 1 de março de 2015

SP: estudante morre por coma alcoólico em Bauru



103133076736416593856822803746209430039034n
O estudante de engenharia Humberto Moura Fonseca, de 23 anos, morreu e outros seis outros universitários estão internados – três deles em estado grave- após consumir bebidas alcoólicas em excesso durante uma festa universitária, neste sábado (28), em Bauru, no interior de São Paulo.
A festa, open bar, chamada Inter Reps Bauru 2015, era promovida por repúblicas da cidade e chegou a reunir, segundo a Polícia Militar, mais de dois mil estudantes em uma chácara na Granja Cecília, próxima ao recinto de exposições.
Os organizadores, segundo a PM, não tinham autorização para vender bebidas e nem alvará para realizar o evento, que foi cancelado no início da noite.
Todos estudantes que passaram mal são da Universidade Estadual Paulista (Unesp), onde as aulas tiveram início nesta semana. Humberto fazia o curso de engenharia elétrica, um dos mais concorridos da faculdade. A família, moradora emPassos (MG), foi avisada no início da tarde.
A festa, segundo os organizadores, era uma competição que tinha objetivo de integrar e divulgar as repúblicas de estudantes da cidade. Os cartazes da festa anunciavam a realização de 10 competições, como escolha da miss, cabo de guerra, truco, doação de sangue e outras provas. Mas entre elas, haviam três provas, com uso de bebidas, chamadas Maratona, Beer Pong e circuito alcoólico, que testavam a resistência dos jovens.
“Além da oferta de álcool grátis, esses estudantes participavam dessas competições e exageraram. A amiga de uma menina que está internada em coma alcoólico me disse que ela consumiu 25 copos de vodka”, contou o tenente Osnei Rodrigues Cesetti, que atendeu a ocorrência.
Segundo ele, por volta das 16h30, o serviço do Copom da PM recebeu o telefonema de funcionários da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Ipiranga. “Eles diziam que havia seis jovens passando mal por consumir bebidas alcoólicas e que não tinham condições de atender mais jovens”, contou.
Mas, quando a equipe chegou à UPA, um novo telefonema avisou da morte do estudante. “Em seguida, recebemos outra ligação, agora do Pronto-Socorro Central,nos avisando que um outro estudante tinha ido a óbito também por ter consumido bebidas e as pessoas que o levaram disseram que ele estava na mesma festa que os estudantes internados na UPA”, completou.
Humberto foi socorrido pelos próprios organizadores da festa, mas já chegou morto ao pronto-socorro. Outros seis estudantes foram internados na UPA, três deles, em coma alcoólico, eles tiveram de ser entubados, em estado grave. “Ao chegarmos na festa, pudemos presenciar a degradação dos estudantes, muitos bêbados”, contou o tenente.  Segundo Cesetti, dois estudantes, também da Unesp, se apresentaram como organizadores da festa, que foi cancelada após a PM verificar que o evento está funcionando sem alvará e sem autorização para vender bebidas alcoólicas.
Universidade
Em nota a Unesp informou que lamenta a morte do estudante e que a Faculdade de Engenharia vem prestando apoio à família dele. A universidade ressaltou que a festa foi realizada fora das dependências da instituição e afirmou ainda que o consumo de bebidas alcoólicas é proibido nos campus. Em todas as unidades é realizada uma intensa campanha alertando para os perigos do consumo excessivo desse tipo de bebida.

Fonte: Portal Terra

103133076736416593856822803746209430039034n
O estudante de engenharia Humberto Moura Fonseca, de 23 anos, morreu e outros seis outros universitários estão internados – três deles em estado grave- após consumir bebidas alcoólicas em excesso durante uma festa universitária, neste sábado (28), em Bauru, no interior de São Paulo.
A festa, open bar, chamada Inter Reps Bauru 2015, era promovida por repúblicas da cidade e chegou a reunir, segundo a Polícia Militar, mais de dois mil estudantes em uma chácara na Granja Cecília, próxima ao recinto de exposições.
Os organizadores, segundo a PM, não tinham autorização para vender bebidas e nem alvará para realizar o evento, que foi cancelado no início da noite.
Todos estudantes que passaram mal são da Universidade Estadual Paulista (Unesp), onde as aulas tiveram início nesta semana. Humberto fazia o curso de engenharia elétrica, um dos mais concorridos da faculdade. A família, moradora emPassos (MG), foi avisada no início da tarde.
A festa, segundo os organizadores, era uma competição que tinha objetivo de integrar e divulgar as repúblicas de estudantes da cidade. Os cartazes da festa anunciavam a realização de 10 competições, como escolha da miss, cabo de guerra, truco, doação de sangue e outras provas. Mas entre elas, haviam três provas, com uso de bebidas, chamadas Maratona, Beer Pong e circuito alcoólico, que testavam a resistência dos jovens.
“Além da oferta de álcool grátis, esses estudantes participavam dessas competições e exageraram. A amiga de uma menina que está internada em coma alcoólico me disse que ela consumiu 25 copos de vodka”, contou o tenente Osnei Rodrigues Cesetti, que atendeu a ocorrência.
Segundo ele, por volta das 16h30, o serviço do Copom da PM recebeu o telefonema de funcionários da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Ipiranga. “Eles diziam que havia seis jovens passando mal por consumir bebidas alcoólicas e que não tinham condições de atender mais jovens”, contou.
Mas, quando a equipe chegou à UPA, um novo telefonema avisou da morte do estudante. “Em seguida, recebemos outra ligação, agora do Pronto-Socorro Central,nos avisando que um outro estudante tinha ido a óbito também por ter consumido bebidas e as pessoas que o levaram disseram que ele estava na mesma festa que os estudantes internados na UPA”, completou.
Humberto foi socorrido pelos próprios organizadores da festa, mas já chegou morto ao pronto-socorro. Outros seis estudantes foram internados na UPA, três deles, em coma alcoólico, eles tiveram de ser entubados, em estado grave. “Ao chegarmos na festa, pudemos presenciar a degradação dos estudantes, muitos bêbados”, contou o tenente.  Segundo Cesetti, dois estudantes, também da Unesp, se apresentaram como organizadores da festa, que foi cancelada após a PM verificar que o evento está funcionando sem alvará e sem autorização para vender bebidas alcoólicas.
Universidade
Em nota a Unesp informou que lamenta a morte do estudante e que a Faculdade de Engenharia vem prestando apoio à família dele. A universidade ressaltou que a festa foi realizada fora das dependências da instituição e afirmou ainda que o consumo de bebidas alcoólicas é proibido nos campus. Em todas as unidades é realizada uma intensa campanha alertando para os perigos do consumo excessivo desse tipo de bebida.
Fonte: Portal Terra