quarta-feira, 27 de maio de 2015

Corrupção na FIFA: ex-presidente da CBF, José Maria Marin, e mais seis dirigentes são presos na Suíça.


Por corrupção na Fifa, O ex-presidente da CBF, José Maria Marin, e pelo menos outros cinco dirigentes da Fifa foram detidos pela polícia da Suíça em uma operação surpresa na madrugada desta quarta-feira, em Zurique. A caixa de pandora da Federação Internacional de Futebol está aberta. Na manhã desta quarta-feira, membros do alto-executivo da Fifa acabaram detidos no Baur au Lac Hotel, em Zurique, onde se encontravam para o congresso anual da entidade. De acordo com o NY Times, um dos acusados de corrupção que serão investigados pelo FBI, líder da operação, é o ex-presidente daConfederação Brasileira de Futebol, José Maria Marin.
As informações recentemente divulgadas apontam Marin entre os acusados de corrupção ao lado de outros nomes importantes do futebol mundial como Nicolás Leoz, antigo presidente da Conmebol. Julio Rocha, dirigente máximo da Federação Nicaraguense de Futebol; Rafael Esquivel, mandatário da Federação Venezuelana.
Anteriormente, dirigentes importantes como Jeffrey Webb das Ilhas Cayman, vice-presidente da comissão executiva da Fifa e mandatário máximo da Concacaf; Eugenio Figueredo, uruguaio, ex-presidente da Conmebol; e Jack Warner, de Trinidad e Tobago, um ex-membro do comitê executivo acusado de numerosas violações éticas, foram apontados pelas fontes como parte dos investigados.
Já Eduardo Li, oficial costarriquenho da FIfa, é um dos detidos no hotel suíço, segundo as informações divulgadas pelo NY Times. 
Segundo a reportagem, as acusações do FBI abordam duas décadas de corrupção na entidade máxima do futebol mundial, incluindo eleições para definir sedes de Copa do Mundo, além de contratos de marketing e transmissão dos jogos da principal competição da modalidade.
A polêmica eleição do Qatar para receber o Mundial de 2022 centra as investigações das autoridades americanas, de acordo com a ABC, pleito no qual os Estados Unidos buscavam o direito de receber o torneio – portanto, o cerne da investigação deverá levar os acusados para o país.
José Maria Marin comandou a CBF entre os anos de 2012 e 2015, quando Marco Polo Del Nero, candidato apoiado por ele, venceu a eleição para comandar a entidade máxima do futebol brasileiro. Del Nero assumiu o cargo de dirigente mais importante da modalidade e substituiu Marin em 16 de abril desse ano.

Fonte: ESPN