terça-feira, 27 de outubro de 2015

Marido traído matou empresário em Goiânia


O empresário Rildo José Brasão, de 44 anos, executado com seis tiros na segunda-feira (26) enquanto chegava à sua empresa de esquadrias no Bairro Ipiranga em Goiânia foi morto pelo marido da mulher com quem estaria tendo um caso. A informação é do delegado Thiago Martiniano, responsável pelas investigações. Ao noticiar o fato ontem, o canalgama.com.br relatou que os indícios eram de que se tratava de um crime passional.
A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Investigações de Homicídios (DIH), identificou o assassino horas após o crime. Imagens do circuito de segurança mostraram o momento em que Rildo foi atingido por disparos de arma de fogo. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu no hospital.
Segundo Martiniano, o assassino é o também empresário Fernando da Rocha Nascimento, de 39 anos, que está foragido, mas deve se apresentar à Polícia ainda nesta terça-feira. “O advogado me disse que ele se apresentará ainda hoje”, disse o delegado.
De acordo com as investigações, Fernando teria descoberto, na madrugada anterior ao crime, que a mulher estaria tendo um caso com o empresário. A informação foi dada ao marido pela própria esposa. “Ele (Fernando) disse que não faria nada com a mulher, em consideração aos filhos”, contou Martiniano.
Fernando, apontado com o autor do crime, é casado há 12 anos. Ao ser encontrada pela polícia na casa da mãe, a esposa confirmou ao delegado que o marido teria feito “um peteco” e que não teria conseguido mais contato com ele após a fuga. Em depoimento ao delegado, a mulher contou que conheceu Rildo há cerca de um mês, enquanto deixava os filhos na escola, que fica próxima à empresa da vítima.
Durante as investigações, a Polícia Civil conseguiu, por eliminação, chegar ao dados do veículo utilizado pelo autor. “Só tínhamos certeza de uma letra e dois números, e do modelo do carro”, conta Martiniano. O carro estava no nome do padastro de Fernando, já falecido. Os nomes do autor e da esposa constavam nos arquivos da Delegacia de Furtos e Roubos, com o respectivo endereço. “O carro foi roubado em 2014 e entregue ao casal”, explica o delegado. A partir daí, a equipe da DIH chegou à mulher e esclareceu o crime.