quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Misterioso buraco comedor de pessoas intriga cientistas


Imagine estar caminhando tranquilamente com sua família pelas dunas de areia de Lakeshore, nosEUA, e de repente um buraco profundo surgir do nada e te engolir. Foi o que tragicamente aconteceu com o menino Nathan Woessner, de apenas 6 anos. Seus pais não viram o momento exato que o buraco surgiu, mas quando ouviram os gritos, era tarde mais, e não conseguiram puxá-lo de volta. Apenas viram o menino implorar por ajuda e afundar cada vez mais.
Desesperados, os pais chamaram os bombeiros, que passaram mais de 3 horas cavando 3,4 metros de areia e sedimentos para resgatar Nathan, que estava gravemente ferido, mas felizmente sobreviveu.
Estranhamente, esse não foi o primeiro buraco que surgiu na região. Outros buracos devoradores de pessoas surgiram na mesma duna, obrigando os funcionários a fechar a região localizada perto deChicago, às margens do Lago Michigan.
Afinal, o que de fato aconteceu?
Erin Argyilan, professora de geociências na Indiana University Northwest, estava por perto ao ouvir os gritos dos pais, e ficou intrigada com o estranho acontecimento.
Os buracos eram tão profundos que mal podiam ser medidos com as fitas métricas dos cientistas. Muitos deles vem surgindo desde 2013 e duram pouco, colapsando cerca de 24 horas depois e então são naturalmente preenchidos com areia.
Areia movediça?
Tão presente em filmes de aventura, areias movediças de fato existem, mas não costumam ser tão mortais como nos filmes. Ela é uma mistura de areia e água que parece estar em estado sólido ao ser vista de cima. No entanto, quando algo pesado pisa sobre ela, acaba a “perturbando”, e ela, por sua vez, entra em colapso e acaba ficando em estado líquido. Então, a mistura se solidifica novamente e prende as pernas de pessoas ou animais, ficando muito difícil de escapar.
Mas esse não parece ter sido exatamente o caso. Cientistas afirmam que é possível que existam formas secas de areia movediça, e, de fato, testes laboratoriais revelaram que sob determinadas condições, areia movediça artificial e seca pode engolir um objeto sobre sua superfície. No entanto, esse tipo de areia movediça jamais foi documentando naturalmente.
Intrigados, grupos do Serviço Nacional de Parques (SNP) dos Estados Unidos usaram um radar de penetração para estudar o caso. Eles descobriram uma camada de solo enterrada sob a areia que cobre o parque. Segundo eles, essa camada esteve exposta durante grande parte do século passado.
“Essa duna em particular tem uma história complicada”, disse a professora Argyilan referindo-se aMount Baldy, a duna que engoliu o menino. Sua areia já foi extraída para a fabricação de vidro, mas também há estruturas humanas como uma velha escadaria de madeira enterrada ali.
Argyilan foi mais a fundo e estudou fotografias históricas da região para entender o que mudou desde 1930. Árvores e gramas que cobriam Mount Baldy também estão enterradas profundamente.
Com tudo isso em mente, pesquisadores elaboraram uma hipótese principal: esses itens enterrados foram sugados pelo movimento rápido da areia da duna durante o final da década de 1900. A idade dos materiais e o excesso de chuva durante a primavera de 2013 deixarem esses materiais muito instáveis, criando aberturas para a superfície, que podem ceder quando algo pesado passa sobre elas.
Enquanto a hipótese não é confirmada, pesquisadores continuam coletando dados para elaborar formalmente uma explicação. Enquanto isso, a área permanece fechada para visitantes. [LiveScience]