sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Deputado Major Araújo, agora chamado de “Marajá Araújo”, tem vencimentos de quase R$ 40 mil

O deputado paladino da moral foi acusado de fraudar regras da previdência para conseguir aposentadoria escandalosa

Acostumado a usar a tribuna da Assembleia Legislativa para acusar e atacar seus adversários, odeputado estadual Major Araújo (PRB) leva uma vida dupla: auto-intitula-se o paladino da moralidade, mas em 2009 assumiu mandato como vereador da Câmara de Goiânia por três meses unicamente para garantir polpuda aposentadoria de R$ 13,8 mil mensais, que, somada ao salário de parlamentar, rende ao major reformado da Polícia Militar a escandalosa renda mensal de exatos R$ 38.855,64, acima dos rendimentos do governador do Estado e da presidente da República. “Marajá Araújo“, denunciou ontem o deputado estadual Santana Gomes (PSL), ao revelar a existência do benefício.
Para garantir uma velhice tranquila – afinal, o deputado estadual tem 49 anos de idade – Major Araújoenganou a Previdência. Suplente de vereador em Goiânia, assumiu o mandato por três meses, no lugar do Pastor Rusembergue, e acabou garantindo aposentadoria antecipada. No período em que assumiu a cadeira na Câmara de Goiânia, Major Araújo ainda recebeu R$ R$ 13.690,00 em salários. Manobrar para forçar a Previdência a conceder benefício que nenhum outro contribuinte obteria é, nada mais nada menos, do que fraude.
Assim, o deputado Major Araújo (PRP) tem vencimentos que ultrapassam R$ 38 mil mensais. Os valores chamam atenção, se comparados aos salários recebidos pelo governador Marconi Perillo (R$ 25,05 mil) e pela presidente Dilma Rousseff (R$ 30.900,00). Apesar dos 49 anos de idade, o major goza de aposentadoria recebida por entrar na reserva da Polícia Militar, no valor de R$ 13.803,64. Somado aos vencimentos relativos ao mandato de deputado (R$ 25.052,00), o Major Araújo fecha o mês com R$ 38.855,64.
O parlamentar recebe aposentadoria desde 2009, ano em que assumiu por três meses o mandato de vereador na Câmara de Goiânia. Ao ocupar um cargo eletivo, de acordo com a Lei, um militar entra automaticamente na reserva. Na época, o vereador pastor Rusembergue Barbosa (PRB, partido em que o major era filiado) entrou de licença nos meses de setembro, outubro e novembro, abrindo a vaga para o major, que deixou a Câmara Municipal em dezembro.
Na tribuna da Assembleia, o deputado Santana Gomes (PSL) criticou o colega. “O nobre deputado recebe mais que o governador Marconi Perillo, que tem salário de R$ 25 mil. Ganha mais do que a presidente Dilma Rousseff, que recebe R$ 30,9 mil por mês. Um absurdo. Vou chamá-lo a partir de agora de ‘Marajá’”, afirmou. “Pode até ter sido legal (a maneira como major aposentou), mas é imoral”, acrescentou.