domingo, 31 de janeiro de 2016

Pega na mentira! Reportagem de revista mostra que Lula mentiu sobre Triplex do Guarujá


A casa de Lula literalmente está caindo. Documentos devastadores escancaram mais um escândalo com a marca Lula da Silva

Acabou! Luiz Inácio Lula da Silva, o poderoso chefão de petralhismo, está em maus lençóis depois de apresentar versões que não se explicam sobre o caso escandaloso do Triplex do Condomínio Solaris no Guarujá, litoral paulista. Em reportagem bombástica deste final de semana a Revista IstoÉ apresenta farta documentação que derruba as versões de Luiz Inácio Lula da Silva sobre o mais novo escândalo envolvendo os Lula da Silva. O apartamento de Lula está sob investigação da Polícia Federal e do Ministério Público sob a suspeita de ter sido usado para pagamento disfarçado de propina. As explicações de Lula sobre o escândalo não estão convencendo ninguém da PF e do MP. Principalmente depois de confronto de vários documentos, inclusive os que mostram que Lula mentiu ao dizer que tinha devolvido o Triplex do Guarujá para a empreiteira OAS. A casa de Lula e do petismo literalmente está caindo. Exatamente Lula que usou uma casa legalmente comprada, vendida e declarada à Receita Federal, para instalar uma CPI com o único objetivo de assassinar a reputação do governador de Goiás Marconi Perillo, conforme denúncia do ex-assessor do próprio Lula, o delegado Romeu Tuma Júnior em seu livro Assassinato de Reputação -Um Crime de Governo. Denúncia esta que jamais foi negada por Lula e por qualquer outro petista envolvido na trama contra Marconi. O feitiço literalmente virou contra o o feiticeiro. Lula que usou uma casa para tentar assassinar a reputação de um opositor honesto, agora está mergulhado até o pescoço num escândalo envolvendo um super apartamento triplex como pagamento disfarçado de propina. Como as coisas mudam nesta política nacional petralha!
Confira a matéria arrasadora da Revista IstoÉ que está desmantelando o castelo de areia de Luis Inácio Lula da Silva!
Na sexta-feira 29, o Ministério Público de São Paulo intimou para prestar depoimento o ex-presidente Lula, sua mulher Marisa Letícia e o ex-presidente da OAS, Leo Pinheiro. Lula será ouvido em 17 de fevereiro como investigado, sob a suspeita de ter praticado crimes de ocultação de patrimônio e lavagem de dinheiro. Frente a frente com os promotores, a família do ex-presidente e o empreiteiro terão de apresentar justificativas mais plausíveis do que aquelas já expostas até agora a respeito do tríplex localizado no condomínio Solaris, no Guarujá, e reformado pela OAS, que na semana passada transformou-se em alvo da mais recente fase da Operação Lava Jato. As suspeitas, segundo os procuradores, recaem sobre o uso dos apartamentos do Solaris, entre eles o de Lula, para “repasse disfarçado de propina a agentes envolvidos no esquema criminoso da Petrobras.” Em outras palavras, pagamento de suborno do Petrolão.
Castelo de Lula
NA MIRA 
O ex-presidente Lula terá de depor ao MP para explicar a relação
com imóvel reformado por empreiteira do Petrolão
ISTOÉ teve acesso a três documentos que comprometem as versões exibidas por Lula, desde que o caso veio à tona. No ano passado, quando surgiram as primeiras denúncias de que a empreiteira OAS, envolvida nas falcatruas da Petrobras, desembolsou mais de R$ 700 mil na reforma do apartamento no litoral paulista, o Instituto Lula se esmera em negar com veemência que o ex-presidente ou a ex-primeira-dama Marisa Letícia sejam donos do imóvel. Eles seriam, segundo insistem em afirmar, apenas cooperados de uma cota da quebrada Bancoop, a Cooperativa Habitacional dos Bancários de São Paulo, já comandada por dirigentes petistas, como João Vaccari Neto e Ricardo Berzoini, hoje ministro de Dilma, que deixou mais de três mil famílias sem ver a cor de seus imóveis e do dinheiro aplicado por eles movidos pelo sonho da casa própria. O discurso do principal líder petista persistiu até semana passada, apesar de toda a sorte de depoimentos que confirmaram a presença rotineira de integrantes da família Lula durante as obras responsáveis por mudar (para melhor) a configuração do tríplex. Os documentos que ISTOÉ apresenta agora revelam que Lula jamais abriu mão do imóvel. Há sete anos, a família Lula deveria ter exercido o direito, caso tivesse interesse, de se desfazer da cobertura de frente para a praia e receber a restituição em dinheiro do que havia desembolsado até ali. Mas não o fez. Na época, um acordo foi selado, transferindo o empreendimento atrasado e inacabado da Bancoop para a OAS. 
Castelo de Lula 2
 Ratificado na assembleia dos proprietários em 27 de outubro de 2009 e subscrito pelo ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, o “Termo de Acordo para Finalização do Residencial”, de 14 páginas, é taxativo. Diz que os investidores do inacabado Residencial Mar Cantábrico, renomeado tempos depois para Solaris, tinham dez dias a contar daquela reunião para se desligarem da Bancoop. Precisavam, afirma a cláusula 8.1 do capítulo VIII, também optar entre duas opções em até 30 dias. A primeira, afirma o capítulo X, receber os valores em espécie com multa. A outra consistia em manifestar o desejo de ficar com o imóvel e custear novas despesas para sua finalização. Os valores já pagos, então, iriam ser transformados em uma carta de crédito pela OAS que deveria ser “usada com exclusividade como parte de pagamento para a aquisição de unidade do empreendimento”. Evidente que aquela era uma oportunidade para que os até então aspirantes a adquirir o imóvel desistissem dele, caso tivessem vontade. Mais do isso. As cláusulas 8.2, 8.3 e 8.4 afirmam que “os cooperados que não atenderem ao disposto item 8.1 infringirão deliberação da Assembleia” e “serão penalizados” com a “sua eliminação da Bancoop”.  Não foi uma mera ameaça. Segundo apurou ISTOÉ junto a cooperados da empresa, quem descumpriu esses itens acabou acionado na Justiça. Por isso torna-se completamente inverossímil a nota divulgada pelo Instituto que leva o nome do ex-presidente, quando sugere que a família Lula poderia decidir, em 2015, entre ficar ou não com o apartamento. Se porventura isso acontecer, sobretudo depois da eclosão do escândalo, ficará configurado mais um favorecimento da empreiteira OAS, implicada no Petrolão, ao petista e seus familiares.
Castelo de Lula 3
 Outro documento ao qual ISTOÉ teve acesso revela que a OAS nunca colocou à venda o tríplex destinado à família Lula, o 164 A, ao contrário da atitude tomada em relação a outros imóveis descartados por cooperados em 2009. Os apartamentos dos que não demonstraram interesse em migrar da cooperativa para a empreiteira, logo, foram repassados ao mercado. É lícito supor que se Lula tivesse manifestado a intenção de se desfazer da cobertura, seu apartamento receberia o mesmo tratamento dos demais. Definitivamente não foi o que aconteceu. A tabela de vendas com 12 páginas, de uma empresa associada à OAS e responsável pela comercialização das unidades restantes do Solaris, no Guarujá, é bem clara. O documento datado de fevereiro de 2012 mostra que 33 unidades do condomínio Solaris estavam disponíveis naquela ocasião.  Em uma das colunas, a tarja preta sobre o tríplex 164 A de Lula indica que, sim, o imóvel já tinha dono e não poderia ser comercializado. Naquele ano, havia até um tríplex esperando por compradores, mas o da torre vizinha ao prédio de Lula.
 Autoridades familiarizadas com o esquema da Bancoop também estranham outra afirmação do Instituto Lula: a de que Marisa teria adquirido cotas do empreendimento. “Genericamente, este negócio de cotas é coisa de consórcio. Cooperativa, como a Bancoop, é algo diferente. Ali, o que a pessoa adquire é um apartamento X ou Y”, diz o promotor paulista José Carlos Blat. Num outro documento obtido por ISTOÉ, um dos cooperados – que preferiu ter o nome preservado – assina o termo de adesão da Bancoop em março de 2004. O acordo já previa o número do apartamento. Outros ex-proprietários confirmaram que já sabiam previamente dos apartamentos que caberiam a eles, antes mesmo de realizarem qualquer pagamento à cooperativa. “Para mim e para muitos, o apartamento já vinha definido na hora da compra”, diz a advogada e ex-cooperada Tânia de Oliveira “Até porque havia variações de preço de acordo com o tamanho, o andar, a vista e a localização”, afirma.
Castelo 4
 Os documentos lançam luz sobre as inconsistências das versões apresentadas por Lula. Os trâmites, por assim dizer, burocráticos desde a incorporação pela OAS dos apartamentos da falida Bancoop são fundamentais para atestar documentalmente que, sim, a família do ex-presidente sempre teve a intenção de permanecer com o tríplex de frente para a praia. Desmoronam o castelo de areia em que se transformou o imóvel do petista. O escândalo, no entanto, vai além de uma questão de formalização. Uma série de depoimentos revela que Lula e Dona Marisa agiram – com impressionante desassombro, até serem confrontados com os fatos – como verdadeiros donos do imóvel. A ex-primeira-dama acompanhou de perto a reforma do tríplex, paga pela OAS. Não foram poucas as alterações, como uma simples troca de azulejos do banheiro, por exemplo. As mudanças conferiram uma roupagem nova e mais sofisticada ao imóvel, com cerca de trezentos metros quadros e vista para o mar. Segundo o engenheiro Armando Dagre, um dos donos da Talento Construtora, empresa responsável pela reforma, as obras foram típicas de quem pretende se instalar no imóvel deixando-o à sua feição. Por isso foram empreendidas mudanças significativas na área da piscina, com a instalação de um espaço gourmet, no acabamento do piso, que passou a ter revestimento de porcelanato, e na escada, que deixou de ser o único elo entre os três pisos do apartamento: para que Lula e seus familiares pudessem vencer os três andares do imóvel com mais conforto foi determinada a instalação de um elevador privativo. As despesas somaram cerca de R$ 750 mil, pagas pela empreiteira envolvida no Petrolão. O engenheiro foi além em seu relato. Afirmou ter testemunhado uma das visitas da ex-primeira-dama no imóvel em 2014. Em sua companhia, estavam o filho Fábio Luiz e nada menos do que Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS e réu no Petrolão. As idas de Marisa ao prédio foram atestadas por outros dois funcionários do condomínio, em depoimento ao MP-SP. De acordo com eles, de tão interessada, ela chegou a perguntar sobre o uso das áreas comuns – seguindo à risca a liturgia que todo proprietário de um imóvel adquirido na planta cumpre. Depois da vistoria, a mulher de Lula participou do processo tradicional de recebimento das chaves do imóvel. “Pegamos as chaves do apartamento no dia 5 de junho, inclusive dona Marisa — disse Lenir de Almeida Marques, casada com Heitor Gushiken, primo do ex-ministro Luiz Gushiken, morto em 2013 e que foi também presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo. O Solaris abriga outros moradores bem próximos do petista, como João Vaccari Neto e Freud Godoy, uma espécie de faz-tudo do ex-presidente, que, depois de atuar por vinte anos como seu guarda-costas, virou assessor especial do Planalto durante sua gestão.
Castelo de Lula 5
Esses fatos por si só já colocariam Lula numa enrascada, uma vez que poderiam ensejar uma denúncia por ocultação de patrimônio, como defende um integrante do MP-SP. As investigações acerca da relação de Lula com o imóvel, no entanto, ganharam nova dimensão na semana passada com a entrada do edifício Solaris no radar da força-tarefa da Lava Jato. A “Triplo X”, nome alusivo a tríplex, mira segundo os procuradores “todos os apartamentos” do edifício Solaris, no Guarujá, que estariam sendo usados “para repasse disfarçado de propina (pela OAS) a agentes envolvidos no esquema criminoso da Petrobras.” Questionado durante entrevista coletiva,  se Lula seria o foco da operação, o representante do MPF respondeu: “Se houver um apartamento lá que esteja em seu nome [de Lula] ou que ele tenha negociado, vai ser investigado como todos os outros.”
Castelo de Lula 6
INVESTIGAÇÃO
Segundo integrantes da Lava Jato, todos os proprietários do condomínio 
Solaris serão investigados, incluindo o ex-presidente Lula 
Durante a Operação, da qual participaram 80 agentes, foram recolhidos documentos na OAS, Bancoop e na Mossack Fonseca, empresa responsável por viabilizar a constituição da offshore Murray, sediada no Panamá. Ela foi usada para registrar 14 apartamentos, entre eles um tríplex no Solaris, e ocultar seus verdadeiros donos. A Mossack Fonseca já havia aparecido anteriormente na Lava Jato por auxiliar outros réus a esconderem dinheiro da corrupção da Petrobras em paraísos fiscais. Além da companhia – apontada como uma facilitadora de lavanderias de dinheiro por procuradores -, as investigações centram em imóveis que pertenceriam a familiares de João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT e preso na Lava Jato. Um apartamento situado no condomínio e declarado à Receita pela esposa de Vaccari tem sua escritura em nome de uma funcionária da OAS. Chamou atenção também o fato de Marice Correa, cunhada do ex-tesoureiro do PT e que chegou a ser detida no Petrolão, ter comprado e revendido um imóvel para a própria empreiteira por quase o triplo do valor em apenas um ano. A chave para elucidar esta lavanderia, para as autoridades, é Nelci Warken, ex-prestadora de serviços de marketing à Bancoop. Presa na quarta-feira, ela é tida como laranja do esquema.
Castelo de Lula 7
O novo escândalo abala Lula como nunca antes. Pelo simples fato de que, agora, a denúncia envolve suspeitas de favorecimento no campo estritamente pessoal. No imaginário popular, sai do abstrato e já quase banalizado “desvio de verbas para campanhas” para o concreto e tangível benefício próprio materializado num confortável tríplex com vista para o mar. Diante do exposto, fica complicado persistir na retórica de vítima das elites, enquanto os meros mortais de carne e osso o imaginam refestelado na espreguiçadeira da piscina reformada por uma empreiteira contemplando a vista para o mar da praia do Guarujá. A história política brasileira recomenda alerta. Uma outra reforma potencializou a queda de outro ex-presidente do Planalto. Em 1992, Collor viu sua popularidade se deteriorar com a divulgação das cachoeiras motorizadas, do lago artificial e das fontes luminosas da Casa da Dinda, cujo suntuoso jardim de marajá foi reformado por um paisagista renomado com dinheiro proveniente de contas do tesoureiro, Paulo César Farias. Único nome com musculatura eleitoral para dar prosseguimento ao projeto de poder petista em 2018, Lula corre o risco de ver seu castelo de areia desabar, e junto com ele todo o capital político que acumulou em quarenta anos de vida pública.
Fotos: Fernando Donasci e Marcos Alves/ Ag. O Globo , GLAUCO TULIO/FUTURA PRESS; Geraldo Bubniak/AGB 

Justiça determina bloqueio de bens, no Brasil, de 350 ligados ao terrorismo


A juíza Cristiane Pederzolli Rentzsch, da 16ª Vara da Justiça Federal em Brasília, determinou que sejam bloqueados bens ou valores existentes em todo o território nacional que pertençam a 350 pessoas apontadas pelo Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) por envolvimento com terrorismo e organizações como Estado Islâmico, Talibã e Al-Qaeda.
Nenhum dos listados vive no Brasil, mas eles serão afetados caso mantenham aqui bens registrados em seus nomes. Em razão do segredo de Justiça, o processo não informa o nome dessas pessoas.
Até o momento, nenhum bem foi efetivamente bloqueado porque diversos órgãos de registro, comoAgência Nacional de Aviação Civil (Anac), Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), bancos e cartórios ainda serão notificados. Isso deve começar a acontecer nos próximos dias.
A partir daí, esses órgãos terão que identificar se existem bens em nome das 350 pessoas apontadas pela ONU, efetivar o bloqueio e comunicar a Justiça. Quem tiver bem bloqueado poderá contestar, eAdvocacia-Geral da União (AGU) e Ministério da Justiça serão avisados.
A pasta da Justiça ficará responsável por comunicar o Ministério das Relações Exteriores, que fará a interlocução com o Conselho de Segurança da ONU, se necessário.
Somente depois de decisão transitada em julgado, sem mais chance de recurso, que confirme o envolvimento com terrorismo, é que haverá a perda definitiva dos bens.
A ação foi protocolada na quinta-feira (28) e a juíza concedeu liminar para determinar o bloqueio nesta sexta (29). O caso é considerado pelo governo como o primeiro processo judicial contra o terrorismo da história do Brasil.
O pedido de bloqueio foi feito pela AGU e se baseou em lei sancionada no fim do ano passado pela presidente Dilma Rousseff que criou regras para indisponibilidade de bens. Ela visa cumprir resolução da ONU que tenta barrar o terrorismo no mundo.
O objetivo é bloquear imóveis, veículos, dinheiro em contas ou outras transações financeiras que essas pessoas tenham e dificultar meios de financiar atividades terroristas e lavagem de dinheiro de origem criminosa.
Fonte: G1

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Grampo da PF mostra José Dirceu usando “bomba” no Instituto Lula contra o PSDB

Mesmo preso, José Dirceu foi pego armando para vitimizar o PT no assunto “bomba” no Instituto Lula

O blog de Fausto Macedo no portal do Estadão trouxe conteúdos reveladores da atuação de José Dirceu às vésperas de sua prisão pela Lava Jato, período em que cumpria pena pelo Mensalão. Embora sem cargo oficial no PT, sem renda declarada e com restrições por ser ainda um apenado, José Dirceu influenciava jornalistas, dava ordens ao PT e bolava estratégias para combater a oposição.
A parte mais relevante é a que vai abaixo e menciona a “bomba” jogada de noite no Instituto Lula. Até hoje não há resultados do inquérito quanto ao artefato que não causou danos materiais significativos e foi jogado num horário em que não havia ninguém no local.
Grampoda PF sobre José Dirceu
A PF chegou às seguintes conclusões quanto a este diálogo:
Os interlocutores tratam da explosão da bomba no Instituto Lula ocorrida no dia 31 de julho de 2015. Nesta conversa, Ednilson revela certa tática questionável, ao afirmar que tal acontecimento deveria ser utilizado para a vitimização e era de politizar e creditar à inflamação política que o PSDB passou a fazer para as manifestações marcadas para o dia 16 de agosto de 2015”.
Em se tratando de José Dirceu, tudo pode ser esperado. Que o digam as declarações dos irmãos de Celso Daniel. Ainda assim, vê-lo agindo assim mesmo preso é de surpreender. O que mais não estaria fazendo se estivesse livre?

Fonte: ReaçaBlog

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Quebra pau e tiros em reunião do PMDB de Goiás. Ouça o áudio da baixaria!


Deputado acusa Dona Iris Araújo de mandar “jagunços” provocarem baixaria no PMDB

Uma discussão forte e que acabou em tiros entre o deputado Paulo Cézar Martins (PMDB) com o presidente da juventude nacional da legenda, Pablo Rezende, na noite desta quarta-feira, terminou na delegacia, e agravou ainda mais o conflito dentro do comando da sigla – hoje disputada pelo grupo de Iris Rezende e de Maguito Vilela. Conforme a versão de Pablo, relatada para a imprensa, o parlamentar teria tentado impedir que militantes tivessem acesso a documentos referentes aos delegados do partido – que decidirão quem vai, de fato, comandar o PMDB a partir de fevereiro.
O  partido terá em breve disputa pela presidência da sigla envolvendo  Nailton Oliveira, o deputado federal Daniel Vilela e possivelmente outros postulantes  – como Paulo Cézar Martins. A reportagem não conseguiu contato com Pablo, mas o deputado Paulo Cézar Martins não confirmou a versão informada pelo líder da juventude para a imprensa. Pablo Rezende, líder da juventude peemedebista, apoia Nailton para presidente do partido. Pablo disse que o segurança de Paulo Cézar Martins chegou a atirar nele. Todavia, a bala passou longe. Por sua vez, o deputado alega que o tiro foi dado para colocar fim à discussão, que se acalorava cada vez mais. E não teve nenhuma pessoa na mira. Victor Hipólito, que acompanhava Pablo, acusou o deputado: “Hoje fui alvo de um bandido de que se intitula político”.
Deputado acusa Dona Iris de Araújo de mandar “jagunços” provocarem a baixaria no PMDB de Goiás
“Vieram cinco para cima de mim, eu estava apanhando”, disse o deputado ao Opção. Ele conta ainda que a ação teria sido orquestrada pela ex-deputada Dona Iris, mulher de Iris Rezende. “Ela está com medo de perder o poder. Mandou os jagunços dela lá para tentar inviabilizar as eleições. Dona Iris está tentando manter o domínio do partido. Quer manter o ‘panelão’ do PMDB e nós estamos reagindo democraticamente. Ela quer ser candidata a senadora e está com medo de perder de novo”, acusou o parlamentar.
TENSÃO
O PMDB vive hoje um momento de grande tensão interna. Após a derrota para Marconi Perillo, em 2014, a ala irista começou uma fase de depuração, que incluiu a expulsão de políticos como Júnior Friboi – ligado aos Vilelas. Mais recentemente, a legenda começou a discutir qual o papel de Iris Rezende dentro da sigla – se ele atuaria como mentor ou como puxador de votos e eventual candidato à prefeito de Goiânia.
Cresce novamente no partido a insatisfação com o grupo irista.
Conforme Paulo Cézar Martins, o conflito teria iniciado após dona Iris, candidata derrotada nas eleições de 2014, ter convencido Iris a manter o PMDB em suas mãos e seguir orientando os passos da legenda. “São todos marionetes dela”, diz o deputado. O grupo de Daniel Vilela, por sua vez, quer o comando da legenda para encorpar uma candidatura ao governo em 2018. convenção do partido que ocorreria em 2015 foi vetada pela Justiça, que tenta conciliar os interesses dos filiados e evitar que o grupo irista  tratore os demais integrantes.
Marcada para 2 de fevereiro, a convenção tende a ser eletrizante devido ao jogo interno. O presidente provisório, deputado federal Pedro Chaves, vem tentado conciliar o grupo político, mas com a certeza de que a tentativa de Iris e Maguito em forjarem consenso é quase impossível. O problema da facção que tenta sufocar Iris é assumir o partido sem levar em conta a força política do ex-governador, hoje favorito para a disputa do Paço Municipal. Sem sua vitória para prefeito em Goiânia, nas eleições de outubro, o partido perde musculatura para a disputa de 2018. É uma queda de braço onde todos podem sair derrotados.
Fonte: dm.com.br e Jornal Opção

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

PF deflagra a 22ª fase da Lava Jato. Triplex de Lula é altamente suspeito


Apartamento de luxo que seria de Lula no Guarujá pode ter sido como parte de pagamento de propina

Polícia Federal retomou nesta manhã (27) os trabalhos ostensivos da Operação Lava Jato com a deflagração de sua 22ª Fase, chamada de Triplo X.
Cerca de 80 Policiais Federais cumprem 15 mandados de busca e apreensão, 06 mandados de prisão temporária e 02 mandados de condução coercitiva nas cidades de São Paulo/SP, Santo André/SP, São Bernardo do Campo/SP e Joaçaba/SC.
Este desdobramento da Operação Lava Jato apura a existência de estrutura criminosa destinada a proporcionar a investigados na operação policial a abertura de empresas off-shores e contas no exterior para ocultar e dissimular o produto dos crimes de corrupção, notadamente recursos oriundos de delitos praticados no âmbito da Petrobrás.
Em outro aspecto, a investigação policial apura a ocultação de patrimônio através de um empreendimento imobiliário, havendo fundadas suspeitas de que uma das empreiteiras investigadas na operação teria se utilizado do negócio para repasse disfarçado de propina a agentes envolvidos no esquema criminoso da Petrobrás.
Nesta fase são apurados os crimes de corrupção, fraude, evasão de divisas e lavagem de dinheiro, dentre outros. Os presos serão trazidos para a Superintendência da Polícia Federal em Curitiba/PR e aqui permanecerão à disposição da Justiça.
Documento assinado pela delegada da Polícia Federal Erika Marena elenca o tríplex do ex-presidente Lula no condomínio Solaris, no Guarujá (SP), como um dos imóveis que indicam “alto grau de suspeita” quanto à real titularidade. No organograma dos policiais, a unidade residencial é registrada como de propriedade da OAS, investigada por integrar o clube do bilhão de empreiteiras e que já teve seus executivos, incluindo o ex-presidente Leo Pinheiro, condenados na Lava Jato pelo juiz Sergio Moro.
Em abril do ano passado, VEJA revelou que, depois de um pedido feito por Lula ao então presidente da OAS, Léo Pinheiro, a empreiteira assumiu a construção de prédios da cooperativa. O favor garantiu a conclusão das obras nos apartamentos do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, enquanto outros cooperativados ainda aguardam – e brigam na justiça – para conseguir receber seus imóveis.
As atividades da OAS e o estreito relacionamento da empreiteira com próceres do PT, em especial o ex-presidente, estão há tempos na mira da Promotoria de Justiça de São Paulo. Conforme revelou VEJA, no processo que tramita em São Paulo e não tem relação direta com o escândalo de corrupção da Lava Jato, Lula será denunciado por ocultação de propriedade. A cooperativa habitacional de bancários deu calote em seus associados enquanto desviava recursos para os cofres do PT. A Bancoop quebrou em 2006 e deixou quase 3 000 famílias sem seus imóveis, enquanto petistas graúdos, como Lula, receberam seus apartamentos.
Ao listar diversos apartamentos que seriam objeto de possíveis irregularidades, a PF destaca que “manobras financeiras e comerciais complexas envolvendo a empreiteira OAS, a cooperativa Bancoop e pessoas vinculadas a esta última e ao Partido dos Trabalhadores apontam que unidades do condomínio Solaris, localizado na Av. Gal. Monteiro de Barros, 638, em Guarujá-SP, podem ter sido repassadas a título de propina pela OAS em troca de benesses junto aos contratos da Petrobras”. Depois da observação da delegada Erika Marena, a PF lista o tríplex de Lula, identificado como a unidade 164 da torre A do Solaris, como um dos alvos suspeitos.

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Beyoncé ameaçada de morte no Instagram


Depois de Tina Lawson, mãe de Beyoncé, ter publicado uma fotografia com a filha no Instagram, a cantora foi ameaçada de morte. De acordo com El Mundo, a mãe da artista se dirigiu à polícia de Los Angeles para apresentar queixa.
“Vou matar a tua filha, só posso pensar no cheiro de sangue”, é um dos comentários feitos à foto. A mesma fonte adiantou que o seguidor está sendo investigado pelo FBI, para encontrarem a origem das ameaças, visto que o internauta apagou o seu perfil depois do seu comentário ter sido denunciado.
Fonte: Notícia ao Minuto

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

Vila Nova x Goiás: vice-governador José Eliton desafia o governador Marconi Perillo



Na semana de início do Campeonato Goiano de futebol de 2016, a maior rivalidade do nosso futebol é o destaque já que as duas maiores torcidas de Goiás vivem o clima de mais um super clássico entre Vila Nova x Goiás, que estréiam na competição neste domingo no Serra-Dourada. O vice-governador de Goiás, José Eliton, que é vilanovense de carteirinha, usou as redes sociais para fazer um desafio ao governador Marconi Perillo que é torcedor do Goiás Esporte Clube. José Eliton aproveitou que Marconi Perillo publicou mensagem em seus perfis nas mídias sociais desejando um clima de paz entre as duas maiores e mais apaixonadas torcidas do futebol goiano no clássico de domingo, e publicou o convite ao Desafio do Bem. José Eliton propõe que se o Vila perder ele doe 10 cestas básicas à Vila São Cotolengo em Trindade, se o Goiás perder, Marconi é quem doa as cestas. No caso de empate ambos terão que doar 20 cestas. O desafio está feito. Só resta conferir a resposta do governador! O maior clássico do futebol goiano começa quente de verdade. E que a paz reine absoluta entre as duas torcidas.
Veja o post do vice-governador José Eliton desafiando o Governador Marconi Perillo!
José Eliton desafia Marconi Perillo

sábado, 23 de janeiro de 2016

Em parceria com a Caixa e a Prefeitura, Marconi entrega 1000 casas em Jataí


Marconi disse que as parcerias com a Caixa Econômica Federal colocam Goiás na vanguarda dos principais projetos habitacionais do Brasil


O governador Marconi Perillo comandou hoje, em Jataí, ao lado do prefeito Humberto Machado e do secretário especial da Previdência Social, Carlos Gabas, solenidade de entrega de 1000 unidades habitacionais do Residencial Cidade Jardim II, construído em parceria com o governo federal e a administração municipal.
O governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Habitação (Agehab), garantiu contrapartida de R$ 5 milhões, em Cheque Mais Moradia.  A obra foi executada pela Construtora Central do Brasil (CCB). A participação do Governo federal foi de R$ 62,5 milhões, com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR) e a Prefeitura de Jataí entrou com R$ 586 mil.
As casas possuem 40 metros quadrados de área construída, em lotes de 200 metros quadrados, com dois quartos, sala, cozinha, área de serviço e banheiro. O residencial conta com infraestrutura completa: energia, asfalto, água e rede de esgoto.
Ao discursar na solenidade, o governador Marconi Perillo agradeceu a presidente Dilma Rousseff pelos investimentos em Goiás. “Eu nunca deixei de ser justo com a presidente Dilma Rousseff pelos investimentos, pelas obras, pelas parcerias”, afirmou Marconi, para quem a duplicação da BR-060, de Goiânia a Jataí, já teria justificado todo mandato da presidente. Marconi também reconheceu o esforço da presidente Dilma pela instalação de duas novas universidades federais em Goiás, nos campus de Jataí e de Catalão.
O governador também elogiou o prefeito Humberto Machado, pelo elevado nível de relacionamento institucional com o governo de Goiás. “Eu sempre repito uma frase do prefeito, de que governo não faz oposição a governo”, assinalou. Marconi ressaltou as parcerias com a Caixa Econômica Federal, que colocam Goiás na vanguarda dos principais projetos habitacionais do Brasil. “Nós entramos nessas parcerias para ajudar a viabilizar os empreendimentos”, destacou, ao ressaltar que praticamente 100% dos projetos do Minha Casa, Minha Vida têm a participação do governo estadual.
Carlos Gabas destacou que “nunca antes na história do Brasil investiu-se tanto em moradia popular”, referindo-se aos governos da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “Não estamos entregando apenas casas, mas qualidade de vida a estas famílias”, ressaltou.
Humberto Machado fez um agradecimento especial ao governador pelas parcerias com a administração municipal, principalmente pela contrapartida que possibilitou a construção do novo residencial e que envolveu a colaboração decisiva de órgãos como a Agehab, a Saneago e a Celg. A Agehab vai acompanhar a entrega das casas às famílias. Elas vão receber uma muda de árvore nativa do Cerrado para plantio no novo residencial.
Prestigiaram o evento o presidente da Agehab, Luiz Stival, o secretário de Articulação Política, Sérgio Cardoso,  os deputados federais Daniel Vilela e Rubens Otoni e a superintendente regional da Caixa, Marise Fernandes, entre outras autoridades.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Marconi diz que é preciso coragem para mudar a educação


“O Brasil só vai avançar, se tivermos coragem de mudar a educação”. A avaliação foi feita nesta sexta-feira, dia 22, pelo governador Marconi Perillo, durante assinatura de convênio com Sebrae, que prevê a capacitação de 1,4 mil trabalhadores em 93 municípios goianos. “Precisamos ter criatividade e determinação para mudar o País, principalmente em questões como saúde e educação. Mas antes precisamos ter coragem para enfrentar o corporativismo e o sindicalismo inconsequente, que não se preocupa com nosso País”, ressaltou.
Marconi destacou que o crescimento econômico e a melhoria dos indicadores sociais do País só virão com a solução de questões prioritárias e pendentes. “É preciso enfrentar e colocar o dedo na ferida de algumas questões, como a educação. É impressionante o reacionarismo daqueles que estão na contramão para tentar impedir uma boa ideia. Não queremos impor nada. Queremos apenas uma experiência que possa mudar esta educação. Não temos nenhuma universidade brasileira entre as 200 maiores e mais importantes do mundo. É preciso refletir sobre isso”, afirmou.
O governador condenou a falta de diálogo dos manifestantes contrários à gestão experimental dasOrganizações Sociais em algumas escolas de Goiás. “O reacionarismo tenta nos impedir, à força inclusive, expulsando a secretária Raquel de um evento para debater um assunto sério como este. Não querem diálogo, não querem avançar. É porque sabem que, o dia que experimentarmos isso, vamos começar a mudar o Brasil. Quando a gente percebe este tipo de mentalidade é que entendemos o porquê do Brasil estar atrasado. Fico indignado com a situação de algumas pessoas tentando empurrar para frente e outras puxando para trás algo que pode fazer a diferença”, frisou.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Justiça manda Deputado Araújo apagar calúnias contra Marconi das redes sociais


O juiz Ricardo Teixeira Lemos, da 7a Vara Cível, acatou pedido de liminar do governador Marconi Perillo (PSDB) e determinou que o deputado Major Araújo (PRP) apague das redes sociais e do site pessoal vídeos e mensagens de ataques ao governador de Goiás 
Em ação de indenização por danos morais, Marconi  alegou que o parlamentar,  vem usando a tribuna, “ofendeu sua honra, utilizando-se de termos injuriosos, caluniosos e difamatórios, imputando a este fatos ofensivos a sua reputação e a sua dignidade, tanto como cidadão como pessoa pública”. O vídeo com as críticas foi publicados nas redes sociais do deputado. Na ocasião, o parlamentar chama o tucano de “corrupto e ladrão”, entre outras acusações.
O juiz determinou que Major Araújo apague os ataques no  prazo de 24 horas e se abstenha de fazer alegações citadas na ação “em redes sociais ou  em qualquer outro meio de comunicação”. A pena diária em caso de descumprimento é de mil reais.
“O perigo de dano irreparável ou de difícil reparação está claro, vistos os prejuízos de ordem moral, além de sociais, bem como patrimoniais e outros que poderão advir caso permitida a continuidade das postagens de comentários ofensivos a honra do senhor Marconi Perillo, que, além de pessoa humana é governador deste Estado, escolhido pelo povo como representante de seus interesses, fato que aumenta demasiadamente a necessidade de se manter uma reputação ilibada, enquanto pendente a discussão judicial sobre a publicação de opiniões que tratem de uma suposta participação do requerente em atividades criminosas, diga-se de passagem, sem notícia de qualquer ação ou sentença penal condenatória transitada em julgado”, considerou o juiz Ricardo Teixeira 

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Falha de piloto matou o ex-jogador Fernandão


O relatório final do acidente de helicóptero que matou o ex-jogador Fernandão, ídolo do Internacional e do Goiás, e mais quatro pessoas, divulgado na noite desta segunda-feira pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), aponta que a tragédia ocorrida em junho de 2014 teve “falha humana”.
De acordo com o laudo, o piloto Milton Ananias, de 50 anos – uma das vítimas do acidente – não tinha habilitação para fazer voo noturno e sua jornada de trabalho foi prorrogada além do que determinam as regras da aviação. A extensão do horário de serviço, aponta o laudo, pode ter causado fadiga no piloto.
O documento aponta ainda outros fatores que podem ter contribuído para o acidente, como o fato de o piloto ter deixado de avaliar as características físicas e operacionais do local de decolagem, que não era registrado.
“A decisão por decolar de local não homologado ou registrado, em período noturno, sem referências luminosas externas e sem estar habilitado ao voo, refletiu uma sequência de julgamentos inadequados acerca do contexto de operação que favoreceu a decolagem em condição significativamente adversa”, revela uma parte do texto do laudo.
Segundo o relatório, as condições meteorológicas não foram determinantes para a queda do helicóptero, já que o vento estava calmo no momento da viagem. Além disso, os exames que foram realizados no sistema de controle de voo não indicaram falhas no helicóptero.
Acidente – Fernandão morreu na queda de um helicóptero em 7 de junho de 2014, em Aruanã, a 315 quilômetros de Goiânia. A tragédia ocorreu pouco tempo depois de o grupo deixar um acampamento às margens do Rio Araguaia.
As outras vítimas do acidente eram Edmilson de Sousa Lemes, cabo da Polícia Militar e presidente da Câmara Municipal de Palmeiras de Goiás, Milton Ananias, coronel aposentado da Polícia Militar e piloto da aeronave, Lindomar Mendes Vieira, funcionário da fazenda de Fernandão, e Bidó Antônio de Paula. Fernandão foi o único a ser encontrado com vida no local do acidente. Ele chegou a ser levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.
Carreira – Natural de Goiânia, o atleta viveu a maior fase de sua carreira no Sul. Pelo Internacional, onde jogou por cinco anos, foi campeão gaúcho, conquistou uma Copa Libertadores da América e um Mundial de Clubes, em 2006. No clube, chegou a atuar como dirigente e técnico. Fernandão também teve passagens por Goiás, São Paulo, Olympique de Marselha e Toulouse, na França.
Fonte: Veja

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Caiu a casa Petralha! Campanha de Lula recebeu R$ 50 milhões de propina


A casa petralha definitivamente caiu. A cada depoimento dos presos na Operação Lava Jato o Brasil toma conhecimento de uma falcatrua monstruosa envolvendo o petralhismo (governos do PT). Não há mais como defender o indefensável. Nunca antes na história deste país se roubou tanto dinheiro público como nos governos do PT. A campanha de Lula à reeleição de 2006 recebeu até R$ 50 milhões de propina proveniente da compra de US$ 300 milhões de blocos de exploração de petróleo na África, de acordo com o ex-diretor da Petrobras, Nestor CerveróAs informações de Cerveró, que já dirigiu a área Internacional da estatal, foram dadas a investigadores da Operação Lava Jato durante negociações para fechar seu acordo de delação premiada e foram reveladas pelo jornal “Valor Econômico”.
As declarações sobre a propina à campanha de Lula são citadas em anexo de informações elaborado por advogados de Cerveró. No documento, ele afirma que soube do repasse por meio de Manuel Domingos Vicente, ex-presidente do conselho de administração da estatal petrolífera de Angola, a Sonangol, que hoje é vice-presidente do país.
“Manoel Vicente foi explícito em afirmar que US$ 300 milhões pagos pela Petrobras a Sonangol, companhia estatal de petróleo de Angola, retornaram ao Brasil como propina para financiamento de campanha presidencial do PT em valores entre R$ 40 e R$ 50 milhões.
Ainda de acordo com Cerveró, o ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci teria participado das reuniões. Em resposta ao “Valor”, Palocci negou que participou de qualquer tratativa do assunto. A assessoria do Instituto Lula disse ao jornal que não comentaria o caso, já que se trata de “suposto acordo de delação”.
Fonte: Valor e Folha de São Paulo

domingo, 17 de janeiro de 2016

Glória Pires passa mal e é internada em hospital


A atriz Glória Pires, que está em Salvador, foi internada em um hospital particular após sentir fortes dores na coluna na madrugada deste sábado (16).
Segundo amigos da atriz, Glória foi levada para a emergência, medicada, mas saiu do hospital ainda na madrugada e passa bem.
Glória Pires está na capital baiana com a família desde terça-feira (12). Em uma foto publicada nas redes sociais, ela aparece ao lado do marido, Orlando Morais, do cantor e compositor Manno Góes e da mulher dele, Janina Andrade.
A atriz iria retornar ao Rio de Janeiro, onde mora, neste sábado mas adiou o retorno e só deve viajar no domingo (17).
Glória Pires passa mal e é internada em hospital de Salvador (Foto: Imagens/ Tv Bahia)
Glória Pires passa mal e é internada em hospital
(Foto: Imagens/ Tv Bahia)

Fonte: G1

sábado, 16 de janeiro de 2016

José Eliton exalta debate de alto nível na base aliada para a disputa de 2016‏

Vice-governador participa da festa de aniversário do deputado Giuseppe Vecci, ao lado de mais dois pré-candidatos à Prefeitura de Goiânia: Luiz Bittencourt e Sandes Júnior. Ele destaca a importância do debate sobre os rumos da capital e acentua que seu segmento continuará a praticar a política “com P maiúsculo”

O vice-governador e secretário de Desenvolvimento (SED), José Eliton (PSDB), disse neste sábado (16) que a base aliada ao governador Marconi Perillo está preparada para o debate maduro e de alto nível tendo em vista as melhores estratégias para a disputa da Prefeitura de Goiânia nas eleições deste ano. Presente na festa de aniversário do deputado federal Giuseppe Vecci (PSDB), no pátio da Faculdade Cambury, e ao lado de outros pré-candidatos como Luiz Bittencourt (PTB) e Sandes Júnior (PP), ele destacou a importância do debate sobre os rumos da capital e acentuou que seu segmento continuará a praticar a política “com P maiúsculo”.
Acompanhado da esposa Fabrina Müller no evento em torno de Giuseppe Vecci que reuniu centenas de amigos e correligionários do parlamentar de diversas regiões do Estado, Eliton foi enfático ao destacar a “grande qualidade” de todos os pré-candidatos da base aliada. Ele prevê uma discussão rica e que, segundo ele, contribuirá para a apresentação de projetos consistentes para Goiânia. De acordo com o vice-governador, as inúmeras experiências positivas da administração estadual são “uma excelente fonte inspiradora”.
Na festa em que Giuseppe Vecci reafirmou a pré-candidatura à Prefeitura de Goiânia, cercado de centenas de deputados, dirigentes municipais, vereadores, lideranças e militantes, José Eliton ressaltou a grandeza do acontecimento e sua alta representatividade. Segundo ele, a presença de outros nomes da base que vieram saudar o deputado já era uma forte evidência do espírito de coesão que fundamenta hoje o ambiente político interno. “Nossa força vem da nossa unidade e das ideias inovadoras para transformar Goiânia em exemplo de gestão e de realizações fecundas”, observou.
Ao discursar na saudação ao ex-secretário de Gestão e Planejamento do Governo de Goiás, José Eliton disse que Vecci “é uma das principais lideranças do PSDB no Estado e tem em Goiânia sua grande base”. Dedicado ao setor educacional, “construiu uma instituição que é referência no ensino superior”, afirma ao se referir à Faculdade Cambury, o local da festa.
Ainda no pronunciamento, o vice-governador e secretário de Desenvolvimento destacou a amizade e a trajetória de Vecci, “uma das referências do PSDB em Goiânia e em Goiás”. Eliton cita a contribuição histórica do tucano na organização e planejamento do Estado, sendo um dos responsáveis direto pelas inúmeras conquistas alcançadas. “Trago aqui não um abraço ao deputado, mas ao amigo”, disse. “Muito obrigado pela dedicação e pelo trabalho que fez com que surgisse essa relação tão forte com nossa capital”, afirma. “Você é exemplo de inspiração para todos nós, gestores e políticos”, finalizou se dirigindo ao deputado.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Caetano Veloso e Nando Reis beijam na boca


Nando Reis e Caetano Veloso dividiram o palco em um show na Marina da Glória, no Centro do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (14). Durante a apresentação, os artistas resolveram selar a forte amizade que existe entre eles com um selinho carinhoso.
Mas um selinho entre os cantores não é mais novidade para ninguém, já que na última terça-feira (12) Caetano usou sua página no Instagram para parabenizar Nando pelo seu aniversário de 53 anos e, para isso, compartilhou uma foto onde os dois aparecem dando um beijinho na boca.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Homem protesta plantando árvore em buraco de rua


Um morador, ainda não identificado, da cidade de Palembang, na província de Sumatra do Sul, naIndonésia, teve uma ideia diferente para protestar contra os buracos no município.
Ele resolveu plantar uma bananeira no meio da rua, dentro de um buraco aberto na rua Kolonel H Barlian.
A justificativa para o plantio da árvore seria chamar atenção para a quantidade de acidentes ocasionados pelos buracos na cidade.
Fonte: G1