quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Justiça decreta prisão de suspeito de dopar e dar abortivo à namorada


A Justiça decretou a prisão preventiva do universitário que, segundo a polícia, dopou com tranquilizante e aplicou remédio abortivo na namorada, que estava grávida de cinco meses. O caso ocorreu no domingo (7) na cidade gaúcha de Rio Grande, no Sul do estado.
Conforme a polícia, o homem de 21 anos sedou a namorada, de 20, com uma injeção de tranquilizante. Em seguida, ele teria introduzido na vagina dela seis comprimidos de um remédio considerado abortivo. Ele foi preso na madrugada desta segunda (8) por tentativa de homicídio doloso, ou seja, quando há a intenção de matar, e por tentativa de aborto sem consentimento.
Segundo familiares da jovem, o casal estava junto há três anos. Os dois são alunos da Universidade Federal do Rio Grande (Furg). Ele cursa psicologia e ela é aluna de enfermagem.
A jovem está internada no Hospital Universitário de Rio Grande. Ela relatou à equipe médica que o namorado teria aplicado uma injeção e ela desmaiou. Recuperou os sentidos quando já estava no hospital.
No centro cirúrgico, a médica constatou, através de exames, a presença do medicamento. A jovem relatou que só lembrava de tentar lutar contra a aplicação da injeção e negou ter feito a tentativa de aborto.
A Polícia Civil foi acionada. Por meio da Delegacia da Mulher, foi solicitada a prisão do jovem. Ele negou ter aplicado o remédio, mas confirmou que deu a injeção, e que seria um relaxante muscular.
A jovem é cardíaca e está com várias marcas nos braços causadas pelas diversas tentativas de aplicar o tranquilizante com a agulha de injeção. O bebê também está internado.
“Pra nós é uma situação absurda porque nunca se pensa que o pai vá cometer um ato como esse, ainda mais sem o consentimento, porque a minha irmã estava muito feliz com o bebê”, diz o irmão dela, que preferiu não se identificar.
Após a prisão, o homem foi levado para Penitenciária Estadual de Rio Grande.
Fonte: G1