domingo, 14 de fevereiro de 2016

Pouca vergonha: Petistas chamam MST para invadir Secretaria de Educação em Goiás


Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) invadiram no final da tarde deste domingo (14/2) a sede da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) com o objetivo de se juntar aos manifestantes contrários ao programa de gestão compartilhada de escolas com Organizações Sociais (OSs) que estão acampados no pátio do órgão. A invasão, com a participação de lideranças políticas de partidos de oposição, entre elas o deputado federal Rubens Otoni e o ex-deputado estadual Mauro Rubem, ambos do PT, comprova que o movimento é meramente político e alheio as políticas de melhoria da educação.
Os sem-terra chegaram fazendo estardalhaço, em ônibus e caminhões carregados com equipamentos de acampamento e alimentos. Eles tentaram acirrar os ânimos, com provocações aos policiais militares que acompanhavam, à distância, a movimentação no local. Com a invasão, o movimento invasor de escolas, que foi considerado ilegal pela Justiça do Estado e foi reprovado por pais, alunos e professores de escolas ocupadas, descumpre acordo feito com a Seduce e a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) de não ampliar a invasão da sede da secretaria, sob pena de prejuízo para a aplicação do ano letivo.
Das 29 escolas que foram invadidas pelos manifestantes, apenas 7 continuam ocupadas e os manifestantes estão das que ainda restam estão sendo convidados pela comunidade e pela Seduce a deixarem as unidades pacificamente, já que a Justiça concedeu liminares de reintegração de posse ao Governo de Goiás e estabeleceu multas de R$ 10 mil a R$ 50 mil para os invasores ou seus responsáveis que não deixarem os prédios da Seduce após vencido o prazo de desocupação, válido a partir da notificação, nos termos das decisões judiciais.
Na última sexta-feira, os invasores saíram do Lyceu de Goiânia, levando equipamentos do patrimônio da escola e deixando rastro de depredação e destruição da escola, que havia passado por reforma recente. Em editorial publicado na edição do último sábado, o jornal O Popular condenou a depredação e o roubo de equipamentos e afirmou que, “infelizmente, o vandalismo vai ficar como a marca desta ocupação”.
Mauro Rubem e Rubens Otoni chamam MST para invasões em Goiás

Seduce condena invasão de secretaria por integrantes do MST. 
A Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce)  lamenta a invasão na tarde deste domingo(14/2) de sua sede administrativa  por manifestantes do Movimento de Trabalhadores Sem Terra  (MST), mesmo após acordo feito com o grupo que já está ocupando a secretaria desde o último dia 28.  A secretaria esclarece ainda que respeita o direito à livre manifestação, mas repudia atos unilaterais, que desrespeitam pais, alunos e professores. Desde o início do projeto de melhoria da gestão das escolas por meio de organizações sociais, a Secretaria de Educação esteve aberta ao diálogo e promoveu inúmeros debates e encontros para esclarecimento da sociedade. Reiteramos o nosso compromisso em melhorar a qualidade do ensino em Goiás e nossa disposição em dialogar com a sociedade, principalmente com pais, alunos e professores.
A Secretaria de Educação, Cultura e Esporte (Seduce)  lamenta a invasão na tarde deste domingo(14/2) de sua sede administrativa  por manifestantes do Movimento de Trabalhadores Sem Terra  (MST), mesmo após acordo feito com o grupo que já está ocupando a secretaria desde o último dia 28.  A secretaria esclarece ainda que respeita o direito à livre manifestação, mas repudia atos unilaterais, que desrespeitam pais, alunos e professores. Desde o início do projeto de melhoria da gestão das escolas por meio de organizações sociais, a Secretaria de Educação esteve aberta ao diálogo e promoveu inúmeros debates e encontros para esclarecimento da sociedade. Reiteramos o nosso compromisso em melhorar a qualidade do ensino em Goiás e nossa disposição em dialogar com a sociedade, principalmente com pais, alunos e professores.