quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

CRIADA A CPI DO DÉFICIT. E AGORA?

                                                                                                                               
Eu falo e nêgo duvida! O governador Alcides Rodrigues e o secretário da fazenda Jorcelino Braga não contavam com a CPI do déficit aprovada e instalada na assembléia legislativa de Goiás. Não por desconhecimento da legislação que garante o direito da minoria, pelo menos um terço da casa, de poder instalar qualquer comissão parlamentar de inquérito. O que Alcides, Braga e os estrategistas palacianos de plantão nunca esperavam é que Marconi Perillo tivesse tanto tutano para pedir, clamar, sugerir e influenciar a criação e aprovação da tão temida CPI do déficit ou do endividamento do estado. O Nome tanto faz. O que importa é que mais uma CPI foi criada e em breve tomará conta do noticiário político local. Adoro CPIs. O clima de uma comissão dessas é sempre de temor e de terror. Quem deve alguma coisa treme mesmo na frente de integrantes de qualquer CPI. Quem é contra CPI é porque tem rabo preso em alguma coisa. Quem luta pela não instalação de CPI é porque tem telhado de vidro. E nada mais convidativo que atirar uma pedra no telhado de vidro dos outros. Que maravilha! A verdade é que a mentira do déficit de R$ 100 milhões mensais foi criada para estrategicamente desgastar, desconstruir, arruinar a imagem política de Marconi Perillo em Goiás. Essa mentira por pouco não vira uma verdade absoluta. Mas porque tudo isso? Qual o motivo de tanto de ódio para com Marconi Perillo. Apenas uma simples explicação: inveja. Os corvos governistas, estes covardes e mal agradecidos de hoje, aqueles que necessitaram de ser carregados quase literalmente nas costas para estarem onde estão hoje, já comemoravam a colagem dessa imagem de o homem que quebrou Goiás em Marconi Perillo. Já davam por consumado esse fato. Mas o que eles não imaginavam é que Marconi Perillo fosse mesmo "madeira de lei". Sim, Marconi apanhou por muito tempo calado, se portou como um verdadeiro estadista enquanto as calúnias, as baixarias e as covardias quase que diárias se avolumavam em toda parte do estado. Como um cerne da melhor aroeira que sabe perfeitamente bem do que é feito e que a tudo e a todos resiste, Marconi Perillo suportou calado o pior de toda essa história, que é ser golpeado de modo tão baixo por quem sempre teve em tão alta conta. Isso é realmente muito dolorido. Até que não suportando mais a pressão dos verdadeiros amigos e aliados, até que não podendo mais segurar a reação dos que verdadeiramente lhe querem bem, daqueles que não podiam mais aguentar ver tanta facada nas costas de um amigo leal, Marconi reage. E a reação está configurada na assembléia legislativa de Goiás. A casa da democracia em Goiás, a casa política de maior importância do estado. A principal casa de leis da nossa terra, foi o território escolhido por Marconi para iniciar a sua batalha rumo ao estabelecimento da verdade nesse assunto déficit no governo de Goiás. E o instrumento escolhido para iniciar a batalha foi a peça democrática conhecida como CPI. A instalação da CPI do déficit na verdade mostra o quanto corajoso é Marconi Perillo. A CPI faz os alcidistas palacianos arrepiarem de medo. A verdade vem aí. A verdade está chegando. A verdade destrói os canalhas. A verdade do endividamento do estado de Goiás vai incrementar ainda mais a pré-campanha e a campanha de Marconi Perillo. Criada a CPI do déficit. E agora? E agora que lasquem em muitas bandas todos aqueles que semearam o mal. Bem que Deus avisou. Quem tem olhos para ver que veja: "Aquele que cometer injustiça receberá a injustiça em dobro, e nisso o Senhor não faz acepção de pessoas." Pode ser o secretário da fazenda ou mesmo o governador. Deus é Deus! E de Deus ninguém zomba! Eu falo e nêgo duvida!