terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Paulo Garcia acusa o golpe da crise de sua administração e corta vários benefícios dos servidores


Licença prêmio, horas extras e adicional noturno estão proibidos pelo prefeito de Goiânia

A crise que o PT e o PMDB instalaram em Goiânia explodiu de vez neste final de 2015. As administrações de Iris Rezende e Paulo Garcia afundaram de vez as finanças da capital, e olha que o povo não vê há muitos anos nenhuma obra de vulto que pudesse justificar o caos financeiro. APrefeitura de Goiânia acusa o golpe e escancara a sua situação que a população já percebe nas ruas como caótica. O prefeito Paulo Garcia acaba de publicar no Diário Oficial do município um decreto estabelecendo uma série de medidas que visam conter a crise.
Paulo Garcia decidiu entre outras medidas cortar vários benefícios dos trabalhadores municipais. Licença prêmio por interesse particular, horas extras, adicional extraordinário e noturno foram alguns dos cortes anunciados pelo prefeito de Goiânia. O parcelamento do 13º salário na Prefeitura de Goiânia também foi definido que será em duas vezes. Paulo Garcia cortou também todos os gastos com telefones móveis pós-pagos. Apenas o prefeito, o vice e secretários terão direito a celulares.
Cursos, nomeações e contratações também estão proibidas. Paulo Garcia enfrenta muitas dificuldades à frente de Prefeitura de Goiânia, principalmente com a falta de recursos federais para aa realização de obras prometidas na campanha eleitoral. Paulo amarga o título de pior prefeito da história de Goiânia. Tanto é, que recentemente o INTELLIGENCE PESQUISA mostrou que apenas 2,6% da população de Goiânia aprovam a administração do petista.