domingo, 8 de dezembro de 2013

Marconi Perillo reage às revelações de Tuma Junior: está provado o ódio de Lula


Marconi e Lula

O governador de Goiás, o tucano Marconi Perillo, foi o primeiro político graúdo a reagir ao lançamento do livro “Assassinato de reputações – um crime de Estado”, lançado pelo delegado e ex-secretário Nacional de Justiça, Romeu Tuma Júnior. No livro, Tuma Júnior acusa o Palácio do Planalto de ordenar a fabricação de um dossiê contra o político do PSDB, em razão do alerta que ele garante ter feito, ao ex-presidente, sobre o chamado “mensalão”.
Perillo falou neste sábado, quando cumpria uma agenda de inaugurações de obras nas cidades de Aragoiânia e Guapó. “Com as revelações de Tuma Júnior, não resta mais nenhuma dúvida do ódio e do sentimento de vingança de Lula contra mim”, disse o governador. “Aos poucos a verdade vai sendo restabelecida e os fatos começam a desmontar a farsa”.
No livro de Tuma Júnior, escrito pelo jornalista Claudio Julio Tognolli, há um trecho chamado “Fulmine o Perillo”, com o seguinte relato feito pelo delegado, em primeira pessoa:
“Um dos mais escandalosos pedidos para fulminar alguém me foi feito pelo ex-ministro da Justiça Luiz Paulo Barreto. Um dia, ele me chamou ao seu gabinete e, um tanto lívido, disse: ‘Isso aqui veio de cima, lá do Planalto, do Gilberto Carvalho, secretário particular do presidente Lula. Ele quer que você atenda a um pedido do Lula e mande para o DRCI investigar isso aqui’. O ‘isso aqui’ do ministro da Justiça era um envelope numa pastinha que ele me entregou com um dossiê contra Marconi Perillo.”
Perillo se disse indignado. E afirmou ainda que o chamado “caso Cachoeira” foi uma “vingança” orquestrada pelo PT contra ele. “Fui investigado como nenhum outro político deste país e não encontraram nada contra mim”, disse ele. “Aquilo foi uma ação clara de parte do PT liderada pelo ex-presidente Lula para tentar desviar as atenções do mensalão e se vingar de quem o alertou sobre o maior caso de corrupção de nossa história”.